Revista Rua

2020-04-30T15:13:50+00:00 Em Destaque

Máscaras: quais e quando devemos usar?

©D.R.
Redação
Redação30 Abril, 2020
Máscaras: quais e quando devemos usar?

Porque, em época de pandemia, todo o cuidado é pouco, o Serviço Nacional de Saúde apela, juntamente ao distanciamento social, à higiene das mãos e à etiqueta respiratória, o uso de máscara a todas as pessoas que permaneçam em espaços interiores fechados com várias pessoas (supermercados, farmácias, lojas ou estabelecimentos comerciais, transportes públicos, etc.)

Contudo o uso de máscara levanta algumas questões, como, por exemplo, que tipo de máscara devemos usar e quanto tipos de máscaras existem.

O SNS definiu três níveis de máscaras utilizadas no contexto da COVID-19, de acordo com a sua finalidade:

1 – Respiradores (Filtering Face Piece, FFP), um equipamento de proteção individual destinado aos profissionais de saúde, de acordo com a Norma 007/2020 da Direção-Geral da Saúde;

2 – Máscaras cirúrgicas, um dispositivo que previne a transmissão de agentes infeciosos das pessoas que utilizam a máscara para as restantes;

3 – Máscaras não-cirúrgicas, comunitárias ou de uso social, dispositivos de diferentes materiais têxteis, destinados à população geral, não certificados.

(Todas as especificações técnicas, de qualificação regulamentar para cada tipo de máscara de acordo com o seu utilizador podem ser encontradas neste documento).

©D.R.

No entanto, há uma ponderação importantíssima: não há máscaras cirúrgicas para toda a população e o uso indiscriminado vai gerar um desabastecimento para as pessoas com sintomas e para os profissionais que mais precisam delas.

Tendo essa ideia como premissa, a utilização de equipamentos de proteção individual deve, segundo a orientação da Direção-Geral da Saúde, ser dada prioridade a:

– profissionais de saúde;

– pessoas com sintomas de infeção respiratória (nomeadamente, febre, tosse ou dificuldade respiratória) que estão em contacto com outras pessoas;

– todas as pessoas no interior de instituições de saúde;

– doentes imunossuprimidos (doentes em hemodiálise, doentes oncológicos sob quimioterapia ou radioterapia, doentes com imunodeficiências, doentes sob terapêutica imunossupressora (nomeadamente biológicos), entre outros), nas deslocações esporádicas fora do domicílio;

– profissionais ou pessoas que possam contactar diretamente com doentes suspeitos ou confirmados de COVID-19 ou com material utilizado por estes doentes.

Nenhuma máscara substitui o isolamento social ou quaisquer outras medidas — inclusive, ela é menos eficaz do que lavar as mãos ou permanecer longe de outras pessoas no controle de novos casos da Covid-19.  A utilização das máscaras caseiras é indicada exclusivamente para as situações em que realmente precisamos sair do domicílio.

Além disso, é imprescindível saber colocar e retirar a máscara. Pode ver no vídeo em baixo um exemplo dos cuidados a ter:

Partilhar Artigo: