Revista Rua

2020-03-04T16:00:27+00:00 Cultura, Pintura

Meet Van Gogh em Lisboa a partir de 28 de fevereiro

A exposição estará no Terreiro das Missas, em Belém, e permitirá que os visitantes “entrem” nos quadros de Van Gogh.
Fotografias ©MEET VINCENT VAN GOGH
Cláudia Paiva Silva
Cláudia Paiva Silva24 Fevereiro, 2020
Meet Van Gogh em Lisboa a partir de 28 de fevereiro
A exposição estará no Terreiro das Missas, em Belém, e permitirá que os visitantes “entrem” nos quadros de Van Gogh.

Depois de Londres, chegará a Lisboa já no próximo dia 28 de fevereiro a exposição Meet Van Gogh, numa parceria entre o Van Gogh Museum de Amesterdão com a UAU, onde o público é literalmente convidado a conhecer, tocar e entrar nas pinturas do artista, e assim, mergulhar nos seus quadros. A exposição, no Terreiro das Missas, em Belém, tenta dar a conhecer, de forma interativa, a história da arte de Van Gogh.

Considerado génio, louco, depressivo e bipolar, Vincent Van Gogh viveu a sua vida em total comunhão entre a arte e a cor, tendo pintado mais de duas mil obras, nas quais pinceladas rápidas e texturas de várias camadas depressa se tornaram na sua imagem de marca e características únicas, resultado da sua mente em constante ebulição. Nesta exposição única e imersiva podemos conhecer não só a sua vida e obra, com auxílio a áudio-guia a cada sala por onde se entra, como somos também convidados a tocar nas telas expostas, podendo experienciar a sensação do criador nas suas imensas composições texturais, sentir a sensação do Verão de Arles sentados em fardos de palha, onde as cores mais vivas e garridas formaram os típicos girassóis, ciprestes e contrastes bucólicos tão conhecidos do pintor, entrar no seu quarto mais famoso, sentar na sua cama ou simplesmente naquela cadeira que várias vezes foi “atualizada” pelo próprio autor. Ao mesmo tempo podemos escutar excertos das cartas que quase diariamente partilhava com o seu irmão e confidente Theo, como memórias biográficas.

Van Gogh passou a sua vida sem o reconhecimento artístico merecido, algo que iria mudar imediatamente a seguir à sua morte, após mais um surto psicótico que nem os amigos, nem a família chegada, conseguiram travar. É aliás, durante um dos seus internamentos em Saint-Rémy-de-Provence, que uma vez mais o pintor excede a sua capacidade criativa, acabando por realizar imensas imagens que ficariam no espólio do Expressionismo. É também Van Gogh que hoje em dia é um dos autores mais procurados em museus e cuja inspiração tem servido para as mais variadas obras de arte modernas.

É Van Gogh que se pode conhecer mais profundamente, no Terreiro das Missas em Belém, num género de exposição que começa também a ganhar mais importância, dando possibilidades sensoriais quase infinitas aos visitantes, tornando-os mais próximos da Arte e da Cultura.

Mais informações aqui.

Partilhar Artigo: