Revista Rua

2019-08-20T15:31:19+01:00 Gastronomia, Sabores

Meia Dúzia de experiências com sabores autênticos

Na Meia Dúzia, as compotas são produzidas artesanalmente, valorizando produtos de origem nacional, bem como matérias-primas de criação biológica.
Maria Inês Neto20 Agosto, 2019
Meia Dúzia de experiências com sabores autênticos
Na Meia Dúzia, as compotas são produzidas artesanalmente, valorizando produtos de origem nacional, bem como matérias-primas de criação biológica.

Desmistificando o que é tradicional, a Meia Dúzia produz compotas artesanais que são depois vendidas em forma de bisnagas e não nos típicos frascos de vidro. Aos sabores doces das compotas juntam-se os chocolates e o mel, que contrastam com as linhas de licores e chás.

A ideia da Meia Dúzia é de Andreia Ferreira e do irmão, Jorge, que juntos idealizaram um conceito inovador, aliando um design moderno a produtos que possam surpreender com a criação de sabores inesperados. É possível experimentar e conhecer todos os produtos nas três lojas da Meia Dúzia, localizadas na cidade do Porto, ou fazer as suas encomendas online.

Na Meia Dúzia, as compotas são produzidas artesanalmente, valorizando produtos de origem nacional, bem como matérias-primas de criação biológica. Nelas saboreamos o Ananás dos Açores, a Cereja do Fundão, a Pera Rocha ou a Maçã Bravo de Esmolfe, sabores que se cruzam com o travo do Vinho do Porto ou Moscatel do Douro.

O pormenor que distingue a Meia Dúzia é a originalidade das embalagens, as bisnagas de compota, que dispensam os frascos de vidro, bem como colheres e facas para barrar. Têm a particularidade de reduzir a exposição do doce depois de aberto (visto que a fruta não oxida com a luz e mantém o sabor original até ao fim) e permitir o fácil transporte das compotas. A inspiração para as bisnagas chega dos tubos de tinta do universo da pintura e a paleta de cores nesta arte que se saboreia varia entre o verde maçã, o azul mirtilo ou o vermelho cereja.  São reflexo do gosto de Jorge pelas telas, que procurou criar um design original para as embalagens, numa tentativa de se diferenciar dos produtos já existentes no mercado.

Interior da loja Meia Dúzia na Rua de Santa Catarina, no Porto

“Nunca fui grande consumidora de compotas, apesar de ser um produto que as pessoas normalmente fazem quando há excesso de frutas nos pomares”, partilha Andreia, continuando: “Para mim foi um desafio porque não estava propriamente presa a sabores e acho que esse foi um fator fundamental”. O objetivo era criar um conceito de produtos versáteis, que pudessem ser consumidos em várias alturas do dia, desde pequenos-almoços, pratos cozinhados, saladas, sobremesas e até combinados em tábuas de queijos.

A marca de origem nacional conta com mais de 30 sabores de compotas, que vão sendo alterados e melhorados consoante a experiência e o feedback dos clientes. Surge, ainda, uma linha de doze referências de licores artesanais, que misturam frutas e especiarias, paralelamente a uma vasta sugestão de chás aromáticos, bastante intensos em termos de sabor, promovendo uma experiência interessante e alternativa. Com o tempo surgiram os cremes de chocolate negro e, recentemente, de chocolate branco, produtos que exploram também texturas e palatos de diversas frutas. A par dos doces, há ainda espaço para descobrir e experimentar uma linha de sabores salgados, que surgem em chutneys de manga ou de pimento vermelho, juntamente com as pastas de azeitona negrinha ou galega, duas referências nacionais. Da produção ao embalamento, todo o processo é feito pela marca, prestigiando uma seleção de produtos de origem nacional, que são adquiridos preferencialmente em produtores locais.

Os produtos da Meia Dúzia podem ser adquiridos na loja situada na Rua das Flores, na Travessa da Bainharia e, a mais nova, na Rua de Santa Catarina, no Porto. Este último espaço é dotado de um cariz emblemático e histórico, onde a antiga ourivesaria Reis e Filhos é agora palco das melhores experiências de sabores portugueses.

Partilhar Artigo: