Revista Rua

2020-02-26T11:55:21+00:00 Cultura, Música

Musa em formato festival no Theatro Circo com cinco artistas latinas

Partilhar Artigo:
©Sofía López Bravo
Redação24 Fevereiro, 2020
Musa em formato festival no Theatro Circo com cinco artistas latinas
Partilhar Artigo:

O Theatro Circo será o palco para a primeira edição do MUSA – Festival no Feminino, que abraçará a estreia em solo nacional dos trabalhos de Silvana Estrada (México) e de Maria José Llergo (Espanha). Silvia Pérez Cruz estreará no nosso território o seu Proyecto Drama, espetáculo seu a solo, e a rapper chilena Ana Tijoux vem apresentar, após 6 anos de hiato, um novo trabalho de originais. La Bruja de Texoco, vinda também do México, marcará presença pela segunda vez no nosso país para agora mostrar De Brujas Peteneras Y Chachalacas.

O primeiro dia, 16 de abril, estará entregue a duas das vozes mais empolgantes do mundo latino- hispânico, a mexicana Silvana Estrada e a andaluz Maria José Llergo, ambas em estreia no nosso país.

No dia seguinte, 17 de abril será a vez da cantora catalã Silvia Pérez Cruz apresentar o novíssimo Proyecto Drama, cujo ponto de partida é o diálogo que a cantora e compositora estabeleceu nos últimos anos com outras disciplinas artísticas, tais como a poesia, a dança, o cinema e o teatro. Neste novo concerto apresenta-se a sozinha no palco para construir múltiplas sonoridades a partir das suas guitarras.

Texcoco ©Carlos Huerta

Dia 18 de abril, o terceiro e último dia do Festival Musa, recebemos outra artista mexicana, a La Bruja de Texcoco, mulher nascida de rituais e da noite, vem apresentar De Brujas Peteneras y Chachalacas, o seu primeiro trabalho de originais, celebrado por artistas como Lila Downs.

No último espetáculo do festival, Ana Tijoux, iniciada no hip-hop, transformou-se na figura chilena de maior relevância internacional da sua geração. Com cinco discos gravados desde 2007, uma agenda de tours e festivais por mais de quinze países das Américas e Europa desde 2009, colaborações com figuras globais como a mexicana Julieta Venegas, o uruguaio Jorge Drexler ou a palestiniana Shadia Mansour um Grammy Latino conquistado em 2014 e outras seis nomeações aos prémios Grammy e Grammy Latino são alguns dos destaques de uma carreira onde a consciência política está sempre presente no discurso e na ação. Regressa em 2020 para novo disco de originais.

Partilhar Artigo: