Revista Rua

2021-09-30T14:04:18+01:00 Património, Radar

Museu da Fotografia da Madeira – O amor pela fotografia

Localizado num edifício oitocentista, a história do Atelier Vicente´s funde-se com a própria história da fotografia.
Cláudia Paiva Silva30 Setembro, 2021
Museu da Fotografia da Madeira – O amor pela fotografia
Localizado num edifício oitocentista, a história do Atelier Vicente´s funde-se com a própria história da fotografia.

Designado Museu Português do Ano 2020 pela Associação Portuguesa de Museologia, o Atelier Vicente´s no Funchal é um dos mais antigos museus e estúdios de Fotografia do Mundo, apresentando uma coleção com mais de milhão e meio de registos fotográficos.

A história da fotografia remonta ao século XIX, quando Louis Daguerre criou em 1837, na França, o primeiro processo fotográfico conhecido. A 19 de agosto de 1839, apenas dois anos depois e após aquisição da patente ao criador, anunciava o Governo francês a invenção da fotografia, dando assim origem à atual celebração do Dia Mundial da Fotografia na mesma data.

Por sua vez, a história do Atelier Vicente´s funde-se com a própria história da fotografia. Localizado num edifício oitocentista, adquirido por Vicente Gomes da Silva em 1865, o estúdio visava registar não apenas as figuras ilustres da cidade do Funchal, mas sim todas as pessoas que assim o desejassem, tornado a fotografia possível não apenas àqueles que tinham possibilidades financeiras para tal empreendimento. Entre 1886 e 1887, o espaço foi remodelado e ampliado por Vicente Gomes da Silva e então pelo seu filho, Vicente Júnior, resultando na arquitetura que se conhece atualmente, na qual se inclui a varanda sobre o pátio e as estruturas em ferro.

Contudo, o trabalho da Vicente Photographos remonta a 1852, estendendo-se por 4 gerações, até 1978. Durante mais de um século a família Vicente documentou, fotografou e filmou gentes e eventos dos vários quadrantes sociais, nobreza e monarquia, presidentes e artistas, nacionais e internacionais, no seu estúdio da Rua da Carreira, e fora dele, nos cenários naturais que a ilha da Madeira proporcionava.

Mais que reconhecida pela sua beleza, a Madeira era, já à época, um dos principais destinos europeus a quem procurava descanso e contacto com a natureza. Foram várias as personalidades que passaram pela ilha, e que foram também, claro, retratadas pelos fotógrafos da família Vicente. Destacam-se as imagens icónicas feitas durante a estadia da Imperatriz da Áustria, Elizabeth (conhecida carinhosamente por “Sissi”) em 1860 nos jardins da Quinta Vigia, enquanto recuperava de uma tuberculose, que concederam a Vicente Gomes da Silva a distinção com o título “Photographe de la Majeste L’Imperatiche d’Austriche. Os retratos a D. Carlos de Bragança e à Rainha D. Amélia de Orleães, quando da sua visita em 1901, agraciam à vez o filho, Vicente Júnior, com o título “Photographo da Casa Real Portuguesa”. Gago Coutinho e Sacadura Cabral são também fotografados em 1921, durante uma das suas viagens transatlânticas.

Em 1979 o Governo Regional da Madeira adquiriu todo o acervo, inaugurando em 1982 o Photographia – Museu Vicente´s, requalificando assim a casa icónica e a história de uma das mais importantes e reconhecidas famílias funchalenses.

Encerrado entre 2014 e Julho de 2019 para obras de requalificação e modernização, reabre já com o nome de Museu de Fotografia da Madeira – Atelier Vicente’s, ganhando agora uma sala de exposição temporária e outra de exposição permanente, onde se apresentam centenas de imagens de vários autores profissionais e amadores, permitindo ainda aos visitantes conhecer o mundo da fotografia, através de instrumentos de processamento fotográfico, antecâmaras e câmaras escuras, os cenários e adereços usados pela família para os registos em estúdio, livros técnicos de fotografia e uma sala multimédia onde geralmente são apresentados filmes realizados pela família ou resultantes dos acervos do museu, nomeadamente documentários feitos na Madeira.

Dos vários fotógrafos cuja obra se apresenta no Museu de Fotografia da Madeira, destacam-se, além da Vicente Photographos, Perestrellos Photographos, Foto Figueiras, João Francisco Camacho, entre tantos outros, incluindo autores internacionais, que tornaram a fotografia parte da sua vida.

Partilhar Artigo: