Revista Rua

2019-01-24T10:19:30+00:00 Cultura, Música

Música no feminino na Gulbenkian, em janeiro

O terceiro ciclo temático da temporada 18/19 da Gulbenkian Música coloca em destaque mulheres artistas de diferentes culturas e expressões musicais.
Joana Gama © Estelle Valente
Redação17 Dezembro, 2018
Música no feminino na Gulbenkian, em janeiro
O terceiro ciclo temático da temporada 18/19 da Gulbenkian Música coloca em destaque mulheres artistas de diferentes culturas e expressões musicais.

São sete concertos com artistas femininas de diversas culturas e expressões musicais agendados para o início de janeiro no Grande Auditório da Gulbenkian, em Lisboa. Entre 23 e 28 de janeiro, as sonoridades do Mali à China, do Irão à Alemanha e, ainda, do nosso país, trazem a música mandinga de tradição oral, o canto tradicional persa, a música erudita, o fado ou a música eletrónica a concertos ecléticos e entusiasmantes.

Na programação, destaque para Rokia Traoré, que usa as suas canções para apelar à participação da mulher na sociedade maliana. A artista “centra-se na tradição oral griot de contar histórias e intercala o relato do império mandinga com canções clássicas que retratam a história épica do povo de Rokia”. O espetáculo é no dia 23, às 21h. Depois, no dia 24, as irmãs iranianas Mahsa e Marjan Vahdat apresentam a música tradicional persa. Este concerto é também uma forma de luta pelo reconhecimento do lugar que as mulheres ocupam na música e na sociedade iranianas.

O Fado chega no dia 25 de janeiro com Aldina Duarte, acompanhanda neste concerto com o ex-vocalista dos Da Weasel, Carlão, e o pianista Filipe Raposo. As reflexões em torno do lugar da mulher e o seu papel social não faltarão neste espetáculo. No dia 27, às 12h e às 17h, é a vez da violinista alemã Carolin Widmann, eleita Músico do Ano nos International Classical Music Awards, como solista, em 2013, apresentar-se em concerto, com Tianyi Lu na direção da Orquestra Gulbenkian. O programa inclui obras de Mendelssohn e o Concerto para Piano em Sol Maior, de Ravel, com a pianista Varvara.

A programação termina em português, com dois concertos protagonizados pela pianista Joana Gama, um às 19h, com um recital dedicado ao compositor catalão Federico Mompou, e outro às 21h30, acompanhada de Luís Fernandes e músicos da Orquestra Metropolitana de Lisboa, com o projeto at the still point of the turning world, que junta piano, eletrónica e música de orquestra.

Partilhar Artigo: