Revista Rua

2020-11-02T14:58:54+00:00 Ao Volante, Atelier

Nova Toyota Hilux – Um motor mais potente para um design marcante

Redação
Redação2 Novembro, 2020
Nova Toyota Hilux – Um motor mais potente para um design marcante

O segmento de pick-ups está a crescer continuamente na Europa. Um crescimento antecipado do segmento de cerca de 35% fará com que as vendas anuais da pick-up subam de 154 mil (em 2015) para 208 mil unidades até 2023. Muito desse crescimento pode ser explicado pelo aumento do interesse na pick-up para uma dupla utilização, tanto profissional como veículo de lazer.

A nova Toyota Hilux  combina um novo design frontal marcante com uma motorização diesel de 2,8 litros com 204 cv que se traduzem em melhorias no desempenho tanto on-road quanto off-road com maior conforto, equipamento atualizado e uma gama de modelos ampliada visando o crescente uso profissional  na Europa e clientes de lazer.

Também o interior sofreu algumas alterações, a começar pelo novo grafismo da informação apresentada ao condutor no ecrã TFT atrás do volante. Mas é a gama de acessórios disponíveis que permite ao utilizador profissional personalizar a Hilux conforme as suas necessidades de trabalho – casos do novo roll-bar desportivo, da cobertura elétrica em alumínio da caixa de carga, do novo hardtop ou da unidade de abastecimento de energia de 12V na caixa de carga.

O novo e avançado grau Invincible da Toyota oferece aos clientes um estilo sob medida e os níveis premium de equipamentos apropriados para uma base de clientes voltada para o lazer, sem sacrificar a resistência, robustez e a legendária Qualidade, Durabilidade e Confiabilidade (QDR) que fizeram da Hilux, a pick-up favorita do mundo.

Desde o seu lançamento inicial em 1968, a imparável Hilux provou a sua invencibilidade uma e outra vez, tendo conquistado o Pólo Norte e o continente Antártico, e também conseguindo terminar no pódio no Rally Dakar em 2019.

A nova Toyota Hilux vai começar a ser comercializada ainda este ano na Europa Oriental e deverá ser lançada no mercado nacional no primeiro trimestre de 2021.

Partilhar Artigo: