Revista Rua

2019-12-09T11:10:45+00:00 Descobrir, Viagens

O hotel requintando em Lisboa que nasceu de um edifício abandonado

O 1908 Lisboa Hotel é um ponto de paragem obrigatória na capital para quem procura conforto e bem-estar, aliado a luxo e sofisticação.
Redação5 Dezembro, 2019
O hotel requintando em Lisboa que nasceu de um edifício abandonado
O 1908 Lisboa Hotel é um ponto de paragem obrigatória na capital para quem procura conforto e bem-estar, aliado a luxo e sofisticação.

Texto: Inês Rodrigues

Um verdadeiro refúgio com uma história e um passado cativante. O 1908 Lisboa Hotel é um ponto de paragem obrigatória na capital para quem procura conforto e bem-estar, aliado a luxo e sofisticação.

Um edifício que se ergueu depois de 108 anos de decadência é, hoje, um espaço muito procurado, com uma localização privilegiada no centro de Lisboa. No gaveto da Almirante Reis com o Largo do Intendente, o edifício projetado no início do século XX por Adães Bermudes deu lugar a um boutique hotel com interiores contemporâneos que apresentam os 36 quartos, o restaurante Infame e ainda o bar 1908. Os três novos protagonistas daquele que foi Prémio Valmor em 1908.

É o primeiro projeto na área da hotelaria da empresa Villa de Santa Ana que, em 2018, abriu na Ericeira a segunda propriedade do grupo, o You and the sea, sendo ambos geridos pela Amazing Evolution, considerada pela World Travel Awards como a melhor gestora de boutique hotéis da Europa e do mundo em 2018/2019. A empresa é hoje uma referência no mercado através da criação de valor em projetos turísticos – full service hospitality company – e do seu portefólio fazem parte mais de 17 unidades hoteleiras em Portugal continental e ilhas.

Com longo período de decadência, o projeto recupera, 108 após a sua inauguração, a dignidade e hegemonia de outrora pela mão do arquiteto Pardal Monteiro que, apesar da linguagem contemporânea dos interiores, se preocupou em preservar a sua génese, respeitando tanto as fachadas como a estrutura interior do edifício, adaptando-o às exigentes necessidades do novo uso.

Se por um lado a Arte Nova é característica principal do exterior do hotel, no interior as referências ao projeto original estão refletidas em obras de artistas portugueses contemporâneos como Bordalo II, SuperVan (Vanessa Teodoro), David Oliveira e Irmãos Marques. Os artistas foram desafiados a reinterpretar através das suas linguagens ímpares o tema naturalista de Adães Bermudes, cruzando-o com as vivências do edifício ao longo dos últimos anos, espelhando a vida boémia e infame da zona do Intendente.

Alojamento

O hotel tem 36 quartos distribuídos pelos quatro pisos que constituem o edifício, com nomes que variam consoante a dimensão e a vista. Nos The Square Rooms pode desfrutar da vista para o animado Largo do Intendente, enquanto que nos The Avenue Rooms pode vislumbrar a vista voltada para a Avenida Almirante Reis, um dos eixos fundamentais da cidade de Lisboa. Situados no último piso, os The Attic Rooms formam um conjunto de três quartos e um lobby exclusivo, que tanto podem ser reservados individualmente, como na sua totalidade: quer sejam os The King Rooms, quartos com áreas que rondam os 50m2, ou o The King of Dome, a suite principal com cerca de 52m2 e acesso à emblemática cúpula, os quartos do sótão são a melhor opção para grupos, famílias numerosas ou para a realização de pequenos eventos.

Restaurante Infame e o Bar 1908 Lisboa

Infame, o novo restaurante da cidade conta com uma decoração deslumbrante, onde espelha a vida boémia e a multiculturalidade. Com capacidade para 80 lugares sentados no interior e 70 na esplanada, que também funciona como extensão do Bar 1908 Lisboa, o Infame apresenta uma carta que nos leva numa viagem pelos paladares do mundo, mas tendo como base a gastronomia portuguesa. Influenciado pela multiculturalidade do Intendente, o chef Nuno Bandeira de Lima elabora assim uma ementa com raízes locais,  mas temperando-a com os aromas e paladares orientais que se fazem sentir nas redondezas. Dizem pelo bairro que antes de o restaurante abrir, Nuno vagueou pelas diferentes cantinas do bairro em busca de inspiração, e é das diferentes gastronomias presentes na zona que resultou a cozinha do  Infame.  A verdade é que a ementa que o chef criou para o Infame é uma verdadeira viagem à volta do mundo. Além do menu à la carte, o chef, em conjunto com a sua equipa, define diariamente pratos para o almoço executivo, inspirado em ingredientes frescos e sazonais.

Para além do restaurante, também existe o Bar 1908 Lisboa, um espaço marcado pela instalação de Bordalo II, que apresenta, para além de uma carta de bebidas bastante diversificadas, uma seleção de cocktails da autoria dos barmen residentes, disponíveis também no restaurante Infame. Tanto no restaurante como no bar, o ambiente é industrial, pela estrutura metálica visível, que contrasta com os mosaicos hidráulicos dos pavimentos e com os elementos naturalistas. O projeto de decoração de interiores ficou a cargo da empresa proprietária – Villa de Santa Ana – com a colaboração da Sizz Design, mantendo-se uma referência arquitetónica da cidade – e agora um ponto de encontro e de referência de convívio em Lisboa.

Partilhar Artigo: