Revista Rua

2020-11-19T10:52:07+00:00 Cultura, Literatura

O Rouxinol: Cantar o amor em tempos de guerra

Crítica literária ao livro de Kristin Hannah.
Filipa Santos Sousa
Filipa Santos Sousa15 Novembro, 2020
O Rouxinol: Cantar o amor em tempos de guerra
Crítica literária ao livro de Kristin Hannah.

Nos anos 30, as memórias da I Guerra ainda permaneciam vivas em França; mas era um ponto onde ninguém queria voltar. No ambiente boémio citadino, ou na pacatez do campo, entre casas e famílias desfeitas, os franceses seguiam em frente; uns construíam um novo lar, outros minoravam a dor no álcool. Em qualquer um dos casos, para a frente era o caminho. No entanto, o estado de acalmia estava prestes a ser desfeito com a ocupação nazi; este é o cenário literário d’O Rouxinol, romance de Kristin Hannah, autora norte-americana.

O enredo leva-nos a recuar até à II Guerra, percorrendo um dos períodos mais negros da história francesa, num misto de admiração e repulsa, de conflito e reconciliação; numa perspetiva incomum assente em protagonistas femininas – duas irmãs separadas pelos anos e pelo modo de estar na vida. Vianne e Isabelle, cada uma à sua maneira, vão enfrentar as agruras da guerra, numa jornada de pura resistência, longe da linha da frente, mas igualmente admirável.

Em 1939, na pacata vila de Carriveau, Vianne Mauriac despede-se do marido, Antoine, que parte para travar os soldados alemães. Numa fase inicial, ninguém acreditava que fosse possível uma ocupação nazi, mas quando o governo francês anunciou a rendição, tudo mudou… O país foi dividido numa Zona Livre e noutra Ocupada, entregue às tropas de Hitler. Esta divisão territorial estabelece uma analogia para a própria relação entre as duas irmãs. Durante muito tempo, Vianne e Isabelle mantiveram-se demasiado afastadas, mas os seus destinos vão-se cruzar e fortalecer com a guerra.

Com o marido fora e a responsabilidade de criar a pequena Sophie, o quotidiano de Vianne torna-se ainda mais difícil quando um oficial nazi se muda para sua casa. Zelosa por natureza, Vianne aceita passivamente a invasão do seu lar, algo que espoleta uma total incompreensão na sua irmã mais nova. Isabelle Rousignol, de espírito destemido, recusa-se a conviver com o inimigo e alista-se à resistência francesa, onde vai assumir um papel ativo. De algum modo, os caminhos das duas irmãs parecem totalmente opostos, mas o narrar da história traz-nos dados novos: a evolução de Vianne e como esta se torna numa heroína; e aquilo que parecia um eterno conflito fraternal nada mais é do que puro amor.

Entre 1939 e 1944, Vianne e Isabelle representam todas as mulheres francesas que tiveram que lutar diariamente pela sua sobrevivência, em condições de ameaça de morte constante, pobreza e fome; as suas armas não disparavam balas, mas salvavam vidas. O Rouxinol é um relato literário comovente que explora o imaginário aterrador da II Guerra, mas também a beleza e o poder das relações humanas. Ontem como hoje, é preciso saber amar em tempos de guerra.

Kristin Hannah ©Kevin Lynch

Ficha Técnica do Livro:

Título: O Rouxinol
Autora: Kristin Hannah
Tradução: Marta Pinho
Edição: Bertand Editora

Sobre a autora Kristin Hannah

Kristin Hannah é uma daquelas escritoras de sucesso, cujo rumo profissional iniciou noutra esfera. Nascida em 1960, na Califórnia (EUA), Kristin trabalhou alguns anos em publicidade e em escritórios de advocacia. Contudo, quando a gravidez a atirou para a cama durante vários meses, foi na escrita que a norte-americana encontrou um refúgio para o tédio. No início, Kristin aproveitou para recuperar alguns textos antigos que tinha escrito em parceria com a falecida mãe. No entanto, a nostalgia do passado foi apenas o pavio para uma incursão profunda no mundo das palavras. Atualmente, a autora conta com 19 romances publicados, incluindo traduções em vários idiomas, e já recebeu diversos prémios.

 

Partilhar Artigo:
Fechar