Revista Rua

2021-07-20T12:31:32+01:00 Opinião

O Senhor Canoagem

Jogos Olímpicos
Pedro Nascimento
20 Julho, 2021
O Senhor Canoagem
©U Lah Lah

Os Jogos Olímpicos estão de volta. Aquela que é a maior competição desportiva do mundo também não escapou às condicionantes impostas por uma pandemia que influencia indelevelmente as nossas vidas há mais de um ano e meio. Mas Tóquio 2020 realiza-se finalmente em 2021.

Temos naturalmente presente que todos nos vemos condicionados por esta nova vida das mais variadas formas. Mas até que ponto ela terá influenciado a preparação de um atleta de alta competição? O que escrevo alicerça-se no conhecimento que tenho sobre a preparação de um dos maiores atletas portugueses de sempre: Emanuel Silva.

O Emanuel é daquelas pessoas que cativa à primeira vista pela boa disposição. Foi assim que o conheci, na esteira da sua conquista olímpica em Londres 2012, quando venceu a medalha de prata com o Fernando Pimenta. Logo aí, marcou a diferença. O Emanuel estava no topo, era abordado por toda a gente que o encontrava e nunca por um momento evitou quaisquer pessoas, pedidos ou selfies.

A partir daí, suscitou-me muita curiosidade perceber o quão diferente seria a vida de um atleta de alta competição. Como treinam? Como se alimentam? Têm muitas limitações? Bem, de forma muito resumida, atrevo-me a dizer que sendo um amante da prática desportiva… não invejo a vida de um atleta de alta competição! Percebi que o Emanuel está mais tempo fora do que em casa. Entre competições, estágios, promoções e outras obrigações inerentes à sua profissão, a palavra “saudade” sai ainda mais vincada, principalmente quando se tem uma família tão acolhedora como a do Emanuel – que eu tenho o prazer de conhecer.

Desde 2012, orgulhosamente acompanhei com alguns amigos os feitos do Emanuel. Foi Campeão da Europa. Foi Campeão do Mundo. Alcançou o 4.º lugar nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016. Entre estas e muitas outras vitórias alcançadas contou também com o esforço de colegas como o João Ribeiro, o David Varela, o Artur Pereira, o Messias Batista, o Kevin Santos, a quem também presto aqui a minha homenagem.

Trabalhar num projecto ou ciclo olímpico, como fazem estes atletas durante quatro anos, exige um esforço e uma abnegação inexcedíveis. Podemos imaginar o que é condicionar a nossa vida durante quatro anos em prol do esforço pela glória numa competição que tem uma duração de poucos minutos? Podemos imaginar que há́ a possibilidade de um atleta estar apto durante 1500 dias e, no dia da competição, ocorrer uma qualquer indisposição que o limite de forma inultrapassável? E podemos imaginar o que será́ que vai na mente de um atleta quando vê̂ que tudo aquilo pelo que trabalhou arduamente durante quatro anos acaba por ser adiado um ano…

Mas é aqui que entra a força que distingue, não apenas os atletas, mas os Homens. Estes últimos meses foram particularmente difíceis para Emanuel Silva. Quando mais precisava de apoio na preparação para os Jogos que se aproximavam, o seu Clube fechou a porta à canoagem. Quando mais precisava de se focar na competição, viu-se assolado por um problema de saúde que o atirou para a cama de um hospital na Polónia. Quando esperava um reconhecimento simbólico por todos os anos em que competiu e conquistas que alcançou por Portugal, ele esfumou-se.

Porém, Emanuel nunca se escudou em problemas. E o que assisti na televisão à partida para Tóquio foi o tónico para este artigo: “VOU PARA GANHAR UMA MEDALHA”, disse. Com 35 anos, não se esconde atrás de cortinas ou justificações. Este é o mesmo Emanuel do dia em que o conheci. Carregado de vitórias, mas com uma humildade marcante, não se deixa abalar com brisas nem furacões, não cai em lamúrias e tem sempre um ensinamento para quem o rodeia: “és capaz, não és menos do que os outros, tu consegues, luta que alcanças”, tantas vezes ouvi!

A ti, meu amigo e companheiro de muitas aventuras, dedico este texto. Porque além de uma grande amizade, a minha partida para qualquer luta tem a tua marca. E se porventura Tóquio não te coroar, eu vou sempre dizer-te: tu não és só um senhor ou um atleta de canoagem. És o Senhor Canoagem!

Nota: O autor escreve segundo a antiga ortografia.

Sobre o autor:

Advogado. Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Aficionado por música e desporto. Entusiasta de História Militar e autor da página WWII Stories Group.

Partilhar Artigo: