Revista Rua

2020-01-15T17:56:56+00:00 Radar

ONE, o mar como nunca o sentiu: a irreverente instalação a não perder no Oceanário de Lisboa

É no átrio do Oceanário de Lisboa que esta experiência, imersiva e emocional, acontece.
Redação
Redação13 Janeiro, 2020
ONE, o mar como nunca o sentiu: a irreverente instalação a não perder no Oceanário de Lisboa
É no átrio do Oceanário de Lisboa que esta experiência, imersiva e emocional, acontece.

O Oceanário de Lisboa tem patente uma instalação artística que promete levar os visitantes a sentir verdadeiramente o mar, através de uma experiência imersiva. Com imagens captadas apenas em Portugal, ONE, O Mar como nunca o sentiu é uma instalação de arte criada pela artista portuguesa, Maya, que retrata uma forte mensagem acerca da ligação do Homem ao mar, invocando a grandiosidade do oceano com um propósito: criar um sentimento de responsabilidade pela preservação do mar, um sentimento que deve ser transversal a todas as gerações.

A instalação pretende enaltecer a poesia da relação humana com os seres marinhos, através de imagens reais, mas também trabalhadas em sobreposição para que seja criado um ambiente mágico e arrebatador. As imagens são da autoria da artista portuguesa, que é também cineasta e fotógrafa, tendo-se dedicado à fotografia subaquática em movimento, integrando o elemento humano no elemento da água. Esta é a primeira vez que a artista expõe o seu trabalho em Portugal.

“Ao decidir qual seria a melhor forma de representar o ‘Mar de Portugal’, tentei não me limitar a objetivar esta ligação e, em vez disso, transmitir uma mensagem mais vasta com um potencial de transformação. Uma mensagem sobre a importância da preservação deste recurso vital, mas, acima de tudo, sobre aquilo que tem de mudar dentro de nós mesmos para que essa meta se torne uma realidade”, partilha a artista. ONE é uma viagem de um herói – que é o oceano. O projeto demorou cerca de dois anos para executar a parte da obra, incluindo oito meses de filmagens, que ocorreram em território marítimo português, mais concretamente, em Portugal Continental (Algarve, Costa Alentejana, Cascais, Sintra, Nazaré e Aveiro) e Açores.

É no átrio do Oceanário de Lisboa que esta experiência, imersiva e emocional, acontece. Ao entrar nela, o visitante pode viver um momento de introspeção e de harmonia, criando uma ligação mais íntima e particular com o oceano. Após esta experiência, a continuação da visita pelo enorme aquário da capital será, certamente, vivida com outra consciência e sensibilidade.

Esta criação responde ao desafio proposto pelo Oceanário à artista portuguesa, que se baseava no conceito de promover o respeito pelo oceano e pela responsabilidade que cada pessoa deverá ter na preservação e conservação do mesmo, proporcionando uma experiência emocional, conseguida através da combinação da arte com a tecnologia. Aqui está exposta a imensa e particular beleza da biodiversidade do mar em Portugal que é, para a maioria das pessoas, desconhecida.

Partilhar Artigo: