Revista Rua

2020-03-04T15:28:44+00:00 Descobrir, Viagens

Os lugares encantados dos Açores

O que visitar nas nove ilhas dos Açores.
Açores ©JB Chandelier
Redação
Redação4 Março, 2020
Os lugares encantados dos Açores
O que visitar nas nove ilhas dos Açores.

Os Açores caracterizam-se pelas paisagens impressionantes, pelas vilas de pescadores, pelos campos verdes e pelas sebes de hortênsias azuis. São Miguel é a maior das ilhas do arquipélago dos Açores e o Pico abriga a Montanha do Pico, com 2.351 metros de altitude, a maior de Portugal. Estes são apenas dois exemplos de uma imensidão de locais que não pode deixar de visitar neste imenso arquipélago constituído por nove ilhas. Se tenciona visitar cada uma delas, deixamos aqui algumas sugestões imperdíveis: algumas para os mais aventureiros e outras  para relaxar e deixando levar-se pelos sons da natureza.

Pico

É a segunda maior ilha do arquipélago e a origem do seu nome está relacionada com a montanha que tem o formato final de um pico cónico. É o ponto mais alto de Portugal com 2.351 metros de altitude. Daqui é possível avistar as ilhas do Faial, São Jorge, Terceira e Graciosa.

Para os mais aventureiros, a subida ao ponto mais alto de Portugal é, por si só, uma enorme atração, contudo requer muita preparação física e equipamentos adequados.

Pico ©D.R.

Outra atração turística – em especial para os amantes do vinho – é a Vila da Madalena do Pico. Considerada a Cidade do Vinho 2017 pela sua produção do famoso vinho dos Açores, de casta verdelho. É uma região classificada como Património da Humanidade pela UNESCO. Uma visita ao Museu do Vinho é essencial para conhecer melhor a história desta região.

Vila da Madalena ©D.R.

Ilha das Flores

É provavelmente das ilhas mais bonitas do arquipélago e um bom exemplo da sua beleza é a Lagoa das Patas, um dos locais mais procurados pelos turistas onde apenas se ouve o som da natureza: cascatas, pássaros e vento. Um dos melhores locais para relaxar.

A Rocha dos Bordões é outra obra-prima criada pela natureza que podemos encontrar nesta ilha lindíssima. É uma rocha formada por enormes colunas de basalto, um fenómeno que terá sido formado a partir de um cone vulcânico que, com o passar do tempo e através do processo da erosão, o seu interior ficou exposto.

S. Miguel

A ilha de S. Miguel será talvez a ilha mais visitada pelos turistas. É um dos pontos de passagem obrigatórios para quem visita os Açores.

Uma das maiores atrações desta ilha é a Lagoa do Congro. Mais uma vez, um destino para os mais aventureiros. É um local de difícil acesso e requer uma caminhada um pouco longa, 700m através de vegetação. Um percurso um pouco arriscado, mas quem arrisca com certeza não se vai arrepender, valendo a pena todo o esforço.

Sete Cidades é outro ponto que não vai querer deixar de visitar na ilha de S. Miguel. Aqui pode percorrer as famosas estradas que, na altura da primavera e do verão, se encontram ladeadas por belas hortênsias. Estradas essas que nos conduzem a uma das mais belas lagoas, a Lagoa das Sete Cidades – um local de pura magia que não deixa ninguém indiferente.

S. Jorge

A ilha de S. Jorge ou “ilha dos Fajãs” é uma ilha que difere das outras pela falta de qualquer edifício vulcânico poligenético.

Uma das povoações mais antigas da ilha e também uma das suas principais atrações é a Vila de Velas. Uma pequena vila de características muito próprias e que, por si só, merece uma visita.

Vila das Velas © José Luís Ávila Silveira/Pedro Noronha e Costa

Na ilha dos Fajãs não poderíamos deixar de realçar a visita ao Fajã da Caldeira do Santo Cristo. Não é de fácil acesso, porém, durante o caminho, irá desfrutar de paisagens indescritíveis. Aconselhado aos amantes de Surf e Bodyboard e aos apreciadores de amêijoas.

Fajã da Caldeira do Santo Cristo ©Mark Marques

Terceira

Depois de Santa Maria e S. Miguel, esta foi a terceira ilha a ser descoberta no arquipélago dos Açores.

Se está na ilha Terceira, não pode deixar de visitar o Algar do Carvão, um cone vulcânico localizado no centro geográfico da ilha. É um dos poucos lugares no mundo onde pode caminhar dentro de um vulcão extinto.

Imperdível também é um mergulho na maior piscina natural da região, na Calheta dos Biscoitos.

Santa Maria

A ilha de Santa Maria – popularmente conhecida como a ilha do Sol -, está localizada no extremo sudeste do arquipélago e integra o grupo oriental, juntamente com a ilha de S. Miguel. O ponto mais elevado é o Pico Alto com aproximadamente 590 metros de altitude.

Desde logo de visita obrigatória, o Barreiro da Faneca, considerado o “Deserto Vermelho” dos Açores. Chama a atenção pela paisagem de cor vermelha, causado pela zona árida e argilosa.

O Poço da Pedreira, situado na freguesia de Santa Bárbara é também uma das grandes atrações turísticas da ilha. Trata-se de uma área desativada de extração de inertes de cor avermelhada. A água acumulada forma um poço que se encontra com o paredão de pedra.

Faial

O Faial, também conhecida por “ilha Azul”, devido à grande quantidade de hortênsias que brotam no verão, é uma ilha separada pela ilha do Pico pelo Canal do Faial, com cerca de oito quilómetros.

No ponto mais alto da ilha, a Caldeira do Cabeço Gordo, com cerca de 1.043 m, encontra-se o famoso miradouro, que oferece paisagens únicas de verdes da vegetação e azul do mar.

O Vulcão dos Capelinhos é outro sítio que não vai querer deixar de visitar. Em 2018 fez 60 anos desde a sua emersão do fundo do mar. O fenómeno tornou-se um marco na história da vulcanologia mundial.

Corvo

É a ilha mais pequena dos Açores com uma área de apenas 17,2 km2. É formada por uma única montanha vulcânica extinta – Monte Gordo.

Um dos principais pontos turísticos é o caldeirão, com um diâmetro de 2,3 km e profundidade de 320 metros, formado por uma lagoa.

A Praia da Areia, ou Portinho da Areia, formada por areias de pequenos grãos cuja origem vem da decomposição das rochas vulcânicas, é outro dos locais de visita obrigatória.

Graciosa  

 A ilha Graciosa – classificada pela UNESCO como Reserva Mundial da Biosfera -, e também conhecida como “ilha Branca”, devido às suas características geomorfológicas, está localizada ao norte das cinco ilhas que formam o grupo central.

Na freguesia da Luz está a maior atração da ilha, as Termas do Carapacho. Esta estância termal, famosa desde o séc. XVII, é conhecida pelas suas águas milagrosas, águas que podem atingir 40 graus e são compostas por enxofre, cloreto e sódio. Estas águas são bastante benéficas para a saúde, sendo indicadas na prevenção e tratamento de problemas reumatológicos.

Termas do Carapacho ©Márcia Melo

Outro símbolo graciosense são os moinhos de vento. Estes belos moinhos de arquitetura secular, de estilo holandês, flamenga, e outros dos países nórdicos, com telhados vermelhos, podem ser vistos ao longe. Os principais estão situados em Santa Cruz da Graciosa.

Moinhos de Vento ©D.R.
Partilhar Artigo: