Revista Rua

2019-09-27T18:21:57+00:00 Descobrir, Em Destaque, Viagens

Os patrimónios que deve visitar em Portugal

Quantos desta lista já visitou?
Palácio da Pena, Sintra
Redação
Redação27 Setembro, 2019
Os patrimónios que deve visitar em Portugal
Quantos desta lista já visitou?

Texto: Inês Rodrigues

Portugal está na moda e, cada vez mais, atrai milhares de visitantes para percorrer o país de Norte a Sul e descobrir os seus encantos. Para orgulho da comunidade, Portugal foi considerado o melhor destino turístico da Europa pelos World Travel Awards 2019, superando países como Áustria, Inglaterra, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Noruega, Espanha, Suécia, Suíça ou Turquia.

No dia em que se comemora o dia mundial do turismo, deixamos algumas sugestões de locais e monumentos que deve mesmo visitar no nosso país.

Mosteiro dos Jerónimos, Lisboa

Reconhecido pela sua arquitetura portuguesa do século XVI, o Mosteiro dos Jerónimos situa-se numa das zonas mais prestigiadas de Lisboa, um panorama histórico e monumental junto ao rio Tejo. Está classificado como Monumento Nacional e inscrito na lista de Património Mundial da UNESCO (1983).

Palácio Nacional da Pena, Sintra

O Palácio da Pena é um verdadeiro encanto. O rei D. Fernando II foi o responsável por este romântico e extravagante edifício, construído para se destacar na paisagem. Os interiores mantêm o mobiliário original, dando-nos a conhecer muitos costumes da época. Um local que é impossível ficar indiferente com tanta beleza.

Ribeira do Porto, Porto

As ruas estreitas e curvas, com vista para Gaia, as arcadas sombrias, casas típicas com fachadas coloridas de outros tempos, a sua arquitetura urbano-ribeirinha, rodeada de cafés e lojas fazem desta uma das principais zonas turísticas da cidade que atrai muitos visitantes.

Torre de Belém, Lisboa

Inserida na lista do Património Mundial da UNESCO, a Torre de Belém é um ex-libris do património cultural português. Este belíssimo monumento fazia parte de um sistema de defesa tripartida entre o baluarte de Cascais e a fortaleza de S. Sebastião da Caparica, na margem oposta do rio. A decoração da Torre ostenta a simbologia própria do estilo manuelino com esferas armilares, cruzes da Ordem Militar de Cristo e elementos naturalistas.

Miradouro de Santa Luzia, Viana do Castelo

Situado no Norte de Portugal, no alto do Monte de Santa Luzia, os visitantes podem ir de elevador e lá em cima encontrarão a belíssima Igreja do Sagrado Coração de Jesus de Santa Luzia, um dos locais mais emblemáticos do país. A paisagem sobre a cidade de Viana do Castelo é deslumbrante, onde se vê a foz do rio Lima, a ponte metálica do caminho-de-ferro, construída sob a direção de Eiffel, em 1878, e uma boa parte do litoral minhoto.

Douro, Porto

A Região do Douro é um dos destinos turísticos mais agradáveis na zona Norte de Portugal. Com umas paisagens de encantar entre montanhas e vales, o Douro é um local obrigatório para quem gosta de natureza, sossego e paisagens.

Santuário de Fátima, Fátima

O Santuário de Fátima é, por excelência, um local de peregrinação cristã e devoção católica, preservando a memória dos acontecimentos que levaram à sua fundação. A sua importância do ponto de vista religioso é muito reconhecida a nível nacional e internacional, atraindo milhares de pessoas.

Mosteiro da Batalha, Batalha

Situado no centro da vila da Batalha, cuja construção teve início em finais do século XIV com o patrocínio de D. João I, o Mosteiro dominicano da Batalha é o mais significativo edifício do gótico português.

Convento de Cristo, Tomar

Inscrito na lista de Património Mundial da UNESCO, a origem do castelo de Tomar está intimamente ligada aos primórdios do reino de Portugal e à presença dos Templários. Este monumento integra alguns dos mais expressivos testemunhos da história da arquitetura portuguesa.

Santuário do Bom Jesus, considerado Património Mundial da UNESCO em 2019

Santuário do Bom Jesus, Braga

No Minho, destacamos o Bom Jesus do Monte, com uma vista fabulosa sobre a cidade de Braga e arredores. Os escadórios intermináveis, as fontes e estátuas barrocas, os extensos jardins e o lago fazem com que o Bom Jesus seja um dos destinos mais procurados pelos bracarenses e visitantes.

Torre dos Clérigos, Porto

A Torre dos Clérigos é visível praticamente em todos os recantos do Porto e permite avistar toda a cidade e mais além. De estilo barroco e projetada por Nicolau Nasoni, esta torre foi recentemente restaurada. Com uma escada interior (240 degraus) que permite o acesso ao topo, podemos admirar uma das mais belas panorâmicas do Porto.

Palácio de Queluz, Sintra

O Palácio Nacional de Queluz é um palácio do século XVIII localizado em Queluz no concelho de Sintra. Um dos exemplos mais extraordinários da ligação harmoniosa entre paisagem e arquitetura palaciana em Portugal. Dos últimos grandes edifícios que ilustram a evolução do gosto da Corte nos séculos XVIII e XIX, período marcado pelo barroco, o rococó e o neoclassicismo.

Palácio da Brejoeira, Monção

O Palácio da Brejoeira localiza-se em Monção, no distrito de Viana do Castelo. Destaca-se pela grandiosa construção em estilo neoclássico, do início do século XIX. Casa senhorial, circundada de altos muros, ao gosto da época, com um parque de essências arbóreas pouco vulgares, um conjunto notável – palácio, bosque, jardins e vinhas, que seduz e encanta pela harmonia existente. Para além dos jardins, cultivam-se 18 hectares de vinha de casta Alvarinho, um dos emblemáticos vinhos da Sub-Região de Monção.

Palácio de Estói, Faro

O Palácio de Estoi é um complexo situado junto à localidade de Estói, parte do concelho de Faro. Destaca-se principalmente pela sua riqueza arquitetónica, no estilo rococó, sendo o único exemplar na região. A história da construção deste palácio é bastante complexa e remonta ao século XVIII, altura em que já existiam neste local os jardins e uma pequena residência.

Palácio Nacional de Mafra, Mafra

Classificado como Monumento Nacional e declarado a 2019 Património Mundial da Humanidade pela UNESCO, o Palácio Nacional de Mafra localiza-se no concelho de Mafra, no distrito de Lisboa. É composto por um palácio e mosteiro monumental em estilo barroco joanino, na vertente alemã. Os trabalhos da sua construção iniciaram-se em 1717 por iniciativa do rei D. João V, em virtude de uma promessa que fizera em nome da descendência que viesse a obter da rainha D. Maria Ana de Áustria.

Convento do Carmo

Palácio Nacional da Ajuda, Lisboa

O Palácio Nacional da Ajuda é um monumento nacional português, situado na freguesia da Ajuda, em Lisboa. A sua construção teve início no fim do século XVIII (1795) para substituir o Paço Real. O projeto inicial, da autoria de Manuel Caetano de Sousa, sofreu uma alteração profunda com novo projeto em 1802. De inspiração neoclássica, da autoria dos arquitetos Francisco Xavier Fabri e José da Costa e Silva, o Palácio foi habitado com várias interrupções, tendo ficado inacabado. Encerrado com a implantação da República em 1910, o interior do Palácio foi tornado museu, a partir de 1968.

Mosteiro de Alcobaça, Alcobaça

Classificado como Património da Humanidade pela UNESCO e como Monumento Nacional desde 1910, o Mosteiro de Alcobaça tornou-se a principal obra gótica erguida em solo português. Em 2007, foi eleito como uma das Sete Maravilhas de Portugal. Em 1834 os monges foram forçados a abandonar o mosteiro, na sequência do decreto de supressão de todas as ordens religiosas de Portugal, promulgado por Joaquim António de Aguiar, ministro dos negócios eclesiásticos e da justiça do governo da regência de D. Pedro, Duque de Bragança.

Convento do Carmo, Lisboa

O Convento do Carmo de Lisboa é um antigo convento da Ordem dos Carmelitas da Antiga Observância que se localiza no Largo do Carmo e foi erguido, sobranceiro ao Rossio, na colina fronteira à do Castelo de São Jorge. O conjunto, que já foi a principal igreja gótica da capital, e pela sua grandeza e monumentalidade concorria com a própria Sé de Lisboa, ficou em ruínas devido ao terramoto de 1755, não tendo sido reconstruído. É um dos principais testemunhos da catástrofe ainda visíveis na cidade. Atualmente as ruínas abrigam o Museu Arqueológico do Carmo.

Capela dos Ossos, Évora

A Capela dos Ossos é um dos mais conhecidos monumentos de Évora, situada na Igreja de São Francisco. Foi construída no século XVII por iniciativa de três monges franciscanos que, dentro do espírito da altura (contra-reforma religiosa, de acordo com as normativas do Concílio de Trento), pretendeu transmitir a mensagem da transitoriedade da vida, tal como se depreende do célebre aviso à entrada: “Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”. Além da questão espiritual, também havia uma questão física pois existiam na região de Évora quarenta e dois cemitérios monásticos que estavam a ocupar demasiado espaço e locais estratégicos que muitos pretendiam utilizar para outros fins. Assim, decidiram retirar os esqueletos da terra e usá-los para construir e decorar a capela.

Palácio de Mateus, Vila Real

O Palácio de Mateus está situado na freguesia de Mateus, concelho de Vila Real. A Casa de Mateus foi mandada construir na primeira metade do século XVIII pelo 3º Morgado de Mateus, António José Botelho Mourão. O projeto deste palácio foi presumivelmente desenhado pelo arquiteto Nicolau Nasoni. O Palácio é constituído pela casa principal, pelos jardins, a adega e uma capela. No interior da casa encontra-se uma biblioteca com 6000 volumes.

Santuário da Nossa Senhora dos Remédios, Lamego

O Santuário de Nossa Senhora dos Remédios localiza-se na freguesia da Sé, cidade e concelho de Lamego, distrito de Viseu. No topo do monte de Santo Estêvão, o santuário é atualmente parte integrante do panorama da cidade à qual está unido por um escadório cenográfico. Desde 1984, o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, incluindo a escadaria e parque, está classificado como Imóvel de Interesse Público.

Biblioteca Joanina de Coimbra

Palácio do Buçaco, Aveiro

O Palácio do Buçaco ergue-se imponente no seio da Mata do Buçaco, transportando-nos para um mundo de contos de fadas repleto de sumptuosa fantasia. Desenhado pelo cenógrafo Luigi Manini, este edifício deslumbrante é uma recriação da arquitetura manuelina, inspirada em obras como a Torre de Belém ou o Mosteiro dos Jerónimos e reproduzindo a sua decoração rica de pormenores.

Biblioteca Joanina de Coimbra, Coimbra

A Biblioteca Joanina é uma biblioteca do século XVIII situada no Palácio das Escolas da Universidade de Coimbra, no pátio da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Apresenta um estilo barroco, sendo reconhecida com uma das mais originais e espetaculares bibliotecas barrocas europeias. Além de ser um local de muitos estudiosos, o espaço é ainda frequentemente utilizado para concertos, exposições e outras manifestações culturais.

De que está à espera para fazer as malas e conhecer o seu próprio país?

Partilhar Artigo: