Revista Rua

2020-10-09T16:05:33+00:00 Opinião

Pelas pessoas esquecidas

Sociedade
João Rebelo Martins
João Rebelo Martins
9 Outubro, 2020
Pelas pessoas esquecidas

Sempre gostei de política; sempre admirei pessoas que abandonam o conforto de suas casas para, de forma abnegada, lutarem pela melhoria das condições de vida da sua comunidade, da sua rua, do seu bairro, de uma cidade, de um país. Isto é a política que merece ser vivida e vai ao encontro da sua definição clássica.

Temos exemplos brilhantes desta forma tão nobre de fazer política – fora dos partidos -, desde a mediática menina Thunberg, a milhares de pessoas que estão perto de nós: associações de pais, artísticas, desportivas, de moradores, grupos mais organizados com base na Igreja, a Cruz Vermelha, os Rotary e Lions Club, grupos que não têm nenhuma organização aparente, mas que querem actuar, fazer o bem, dando asas à afirmação tantas vezes repetida que os portugueses se movem por causas em vez de ideologias.

Muitas vezes esses grupos resolvem situações que escapam ao poder político partidário, por terem uma ambição diferente, por sentirem nos seus pares a mudança.

Por isso, olho com satisfação para um grupo de pessoas de Fajões, Cesar, no Concelho de Oliveira de Azeméis, Escariz, Fermedo e São Miguel do Mato – no Concelho de Arouca – e Romariz, Santa Maria da Feira, que estão a reunir assinaturas para uma petição que visa a construção de uma ligação de nível na EN326.

O que a população pede é uma ligação simples, que resolve problemas de tráfego nestas freguesias todas, o acesso mais veloz dos Bombeiros de Fajões à sua área de actuação, valoriza aquele território e é um factor de atractividade para mais indústrias e, logo, mais empregos.

Este é apenas um grupo de freguesias escondidas em concelhos emblemáticos. Mas como este, há muitos na lista das petições públicas: pais a pedirem melhores condições para as escolas dos seus filhos, por exemplo.

Assinar estas petições é um dever cívico, é ajudar a que a Assembleia da República olhe para os nossos concidadãos de forma diferente daquela que olhou o poder local, ao longo dos anos.

Gosto de pessoas assim: que lutam pelo melhor para a sua terra.

Nota: Este artigo não foi escrito segundo o novo acordo ortográfico.

Sobre o autor:
Consultor de marketing e comunicação, piloto de automóveis, aventureiro, rendido à vida. Pode encontrar-me no mundo, ou no rebelomartinsaventura.blogspot.com ou ainda em instagram.com/rebelomartins. Seja bem-vindo!

Partilhar Artigo: