Revista Rua

2021-07-08T18:02:11+01:00 Sabores, Vinhos

Primeiro Sousão da Quinta de Ventozelo é lançado em julho

A sua estrutura envolta de taninos macios e com elevada acidez levou José Manuel Sousa Soares, responsável de enologia, a produzir o primeiro Sousão de Ventozelo.
©D.R.
Redação8 Julho, 2021
Primeiro Sousão da Quinta de Ventozelo é lançado em julho
A sua estrutura envolta de taninos macios e com elevada acidez levou José Manuel Sousa Soares, responsável de enologia, a produzir o primeiro Sousão de Ventozelo.

Resultante de uma curiosidade e busca contínua pelo conhecimento e potencial de cada casta, a Quinta de Ventozelo lançou o Quinta de Ventozelo Sousão 2020. Este é um vinho monocasta, fresco e inusitado, que em julho chega às principais garrafeiras e restaurantes de todo o país.

Muitas  vezes  utilizada  para  complementar  outras  castas,  graças  à  sua  frescura  e  intensidade  cromática,  a  casta  Sousão teve em 2020 um desempenho ímpar que permitiu a obtenção de um vinho de qualidade surpreendente. A sua estrutura envolta de taninos macios e com elevada acidez, levou José Manuel Sousa Soares, responsável de enologia, a produzir o primeiro Sousão de Ventozelo. Na  Quinta  de  Ventozelo  existem  cerca  de  12,5  hectares  desta  casta, tendo dado origem a este Sousão 2020 a parcela da Carvalha com 20 hectares no total, mas apenas cinco hectares de Sousão, em patamares e cordão unilateral. Apesar de todos os desafios, num ano considerado de uma forma geral quente e seco, os vinhos demonstram uma incrível concentração e níveis de acidez e álcool bastante equilibrados. O Quinta de Ventozelo Sousão 2020 surge assim com cor rubi opaca e carregada, típica dos vinhos desta casta, com aroma intenso a frutos silvestres e vermelhos maduros, em especial mirtilo e cereja. Na boca cativa pela sua acidez viva, com taninos suaves, mas estruturados. Em suma, um Douro de perfil surpreendente, equilibrado e extremamente fresco. Precisamente devido à sua frescura, este é um vinho de elevada  aptidão  gastronómica,  ideal  para  acompanhar  pratos fortes da cozinha tradicional portuguesa, tal como lampreia, cabidela, sarrabulho e sardinha assada.

Partilhar Artigo: