Revista Rua

2021-05-03T11:10:03+01:00 Cultura, Música

Reencontros de Música Contemporânea volta a acontecer em Aveiro

O programa cultural conta com concertos, espetáculos e iniciativas, um pouco por toda a cidade, de 20 a 30 de maio.
Imagem de arquivo ©D.R.
Redação3 Maio, 2021
Reencontros de Música Contemporânea volta a acontecer em Aveiro
O programa cultural conta com concertos, espetáculos e iniciativas, um pouco por toda a cidade, de 20 a 30 de maio.

Os Reencontros de Música Contemporânea voltam a acontecer em Aveiro, de 20 a 30 de maio. O programa cultural conta com concertos, espetáculos e iniciativas, um pouco por toda a cidade.

A terceira edição da bienal irá ocupar vários espaços culturais, numa parceria entre o Teatro Aveirense e a Arte no Tempo. Esperam-se dez concertos que cobrem várias estéticas musicais, nos quais se contam diversas estreias.

Mantendo o propósito de apresentar a mais recente criação musical de tradição erudita e promovendo os compositores portugueses e estrangeiros que mais se destacam na atualidade, o programa propõe um conjunto de concertos com música de câmara, orquestral, solística, acústica e mista, assim como várias instalações, com intérpretes maioritariamente portugueses.

O concerto de abertura está marcado para o dia 20 de maio e contará com o agrupamento ars ad hoc, que interpreta obras de GéradGrisey e de Simon Steen-Anderson, no espaço GrETUA. Já o concerto que encerra a programação acontece a 30 de maio, na Igreja das Carmelitas, e será um espetáculo monográfico, dedicado ao compositor Ricardo Ribeiro.

A bienal conta ainda com a presença de vários artistas, como Nuno Aroso e o maestro Nuno Coelho, que dirige a Orquestra das Beiras, num programa que inclui a estreia absoluta de um concerto para saxofone e orquestra de João Carlos Pinto, encomendado pela Câmara Municipal de Aveiro, e que contará com a presença do solista Luís Salomé.

A bienal Reencontros de Música Contemporânea foi criada em 2017, numa parceria entre o Teatro Aveirense, a Arte no Tempo e o Atelier de Composição, que tomou como pretexto a celebração dos 40 anos os Encontros Gulbenkian de Música Contemporânea e dos 20 anos das Jornadas Nova Música, para dar continuidade à herança musical e estabelecendo uma ponte entre o presente e o futuro.

Partilhar Artigo: