Revista Rua

2019-01-18T11:08:14+00:00 Património

Refúgio oitocentista com vista sobre o Douro

Filipa Santos Sousa
Filipa Santos Sousa18 Janeiro, 2019
Refúgio oitocentista com vista sobre o Douro

As ‘escapadinhas’ fazem bem a qualquer um, desde o CEO da multinacional mais célebre do momento ao ‘simples’ operário fabril, certo é que todos precisamos de um merecido descanso. Para além disso, o Turismo em Portugal vive ‘dias de glória’ e multiplicam-se os blogues, revistas e artigos com diversas sugestões. Por isso, acompanhamos esta tendência, mas sempre com uma essência muito própria na redação de qualquer manuscrito.

Uma breve pesquisa no Google bastará para o leitor encontrar dezenas, centenas ou mesmo milhares de propostas. Assim sendo, porque não mais uma? Ao encaminhar os visitantes desta página para algum local, pretende-se sobretudo que, mesmo com base em meras palavras, absorvam a experiência de quem lá esteve. Hoje, o roteiro traçado leva-nos até ao concelho de Cinfães.

Entre montes, vales de encantar – como o de Bestança, com o seu rio de água limpa e praias fluviais dignas dos maiores aficionados pela Natureza no seu estado mais puro –, miradouros e pontes antigas, sobressai a freguesia de Oliveira do Douro. Situada a cerca de dez quilómetros da sede do município, a povoação é pequena e está muito aquém da azáfama das cidades. No entanto, é literalmente possível encontrar-se ofertas para praticamente todas as necessidades dos turistas. As opções para comer são reduzidas, contudo o restaurante Recanto D’Oliveira em nada fica a dever aos melhores locais de restauração. Bons pratos, excelentes vinhos e muita simpatia no atendimento são características que fazem com que os clientes queiram lá voltar.

Casa da Calçada

Mas e no meio disto tudo, onde dormir? É uma questão pertinente, sem dúvida. Porém, a resposta é simples e, para quem conhece, mais do que óbvia: a Casa da Calçada. Este edifício secular é verdadeiramente incrível. Logo à primeira vista, somos assoberbados pelo seu enquadramento paisagístico. De frente para o rio Douro, a sua arquitetura remete-nos imediatamente para as casas senhoriais da região. A casa apresenta vestígios originais e bem-conservados das suas fundações oitocentistas, assim como a capela construída já nos finais do século XIX.

No exterior, a Casa da Calçada deslumbra pelo prazeroso ambiente ao ar livre, salientando-se as suas pérgolas perfumadas de glicínias, o court de ténis e, claro, a mais do que apelativa piscina. Como se já não fosse suficiente, é possível encontrar pequenos recantos nos jardins serenos para ler e reler as páginas dos seus livros favoritos, ou simplesmente desfrutar da companhia da sua cara-metade. Um cenário tranquilo e, simultaneamente, romântico. Por sua vez, no interior existem vários espaços que fomentam o convívio e o lazer dos hóspedes, incluindo a sala de jantar e o salão de jogos, entre outros aspetos. O conforto e requinte dos quartos também merecem destaque.

No verão ou no inverno, quando não souber para onde fugir ao stress da vida quotidiana e das exigências do mundo laboral, tome a Casa da Calçada como o derradeiro ponto de partida. Para quê? Ora, para o deleite de um relaxante cenário: um refúgio oitocentista com vista sobre o Douro.

Partilhar Artigo:
Fechar