Revista Rua

2019-04-12T16:24:58+00:00 Cultura, Outras Artes

RHI: a iniciativa inovadora que promete dinamizar a arte e business, a cultura e turismo em Portugal

Redação
Redação12 Abril, 2019
RHI: a iniciativa inovadora que promete dinamizar a arte e business, a cultura e turismo em Portugal

O Revolution Hope Imagination (RHI) é uma iniciativa que pretende criar um diálogo entre a Arte e os Negócios, a Cultura e o Turismo e trazer essa discussão para Portugal através de uma semana de talks, workshops e espetáculos por todo o país, reunindo curadores, programadores culturais e artistas vindos de várias partes do mundo. O projeto vai continuar ativo através de uma plataforma online que vai garantir a sustentabilidade dos objetivos da iniciativa, criando redes nacionais e, ao mesmo tempo, abrindo portas para a internacionalização dos artistas portugueses.

Este diálogo mundial, terá lugar em Portugal entre 14 e 21 de setembro de 2019 e passará por Lisboa, Torres Vedras, Caldas da Rainha, Óbidos, Guimarães, Leiria, Alcobaça, Évora, Vidigueira, Loulé e Funchal.  Através da plataforma – que acaba de ser lançada e que pode ser vista em www.rhi-think.com – será possível, depois de setembro, fazer o booking de espetáculos portugueses e vai permitir já que agentes turísticos possam fazer o mesmo para os seus clientes que venham a Portugal.

A iniciativa parte de Ana Ventura Miranda, na data em que se assinalam oito anos do Arte Institute, projeto que criou para promover a cultura e arte de Portugal em Nova Iorque. “Com o Arte Institute criámos as redes mundiais que temos hoje para chegar a estes programadores e curadores, as redes de escolas e organizações mundiais para criar o programa educacional e a rede para depois internacionalizar os projetos que iremos selecionar do call for artists, lançado agora pelo RHI”, conta Ana Ventura Miranda. “Mas acima de tudo, aprendemos nestes oito anos que é possível fazer muito quando há vontade e que a sociedade civil pode e deve ter uma voz na construção do país. Esta é sem dúvida uma das premissas do RHI”, afirma a mentora do projeto.

Os curadores e programadores do RHI são nomes reconhecidos das artes em Portugal como José Luís Peixoto, Afonso Cruz, John Gonçalves, Ivo Canelas, Marta de Menezes, Paula Abreu, Pedro Varela e Nuno Bernardo, entre outros.

Segundo Ana V. Miranda os objetivos deste projeto são dar ferramentas aos artistas para que possam ter outro posicionamento na sociedade e na sua relação com o financiamento, propondo outras modalidades e modelos de negócio, criar ligações entre o turismo e a cultura, e trazer para Portugal esta aproximação ao modelo cultural americano. “É importante que Portugal comece a ser visto como um destino cultural turístico. É essencial criar redes internas no país entre artistas, produtores e agentes culturais através de uma descentralização pelo país e trazer mais programadores a Portugal para que conheçam os artistas e a cultura contemporânea portuguesa, explica Ana Miranda. “Através da plataforma online com vários projetos multidisciplinares, queremos apresentar uma montra da cultura contemporânea portuguesa, que abra também mais portas para a internacionalização”, assume a fundadora.

Partilhar Artigo: