Revista Rua

2019-02-06T11:58:55+00:00 Gastronomia, Radar, Sabores

Royal Cocoa, um refúgio doce para os dias frios

Joana Soares
Joana Soares6 Fevereiro, 2019
Royal Cocoa, um refúgio doce para os dias frios

Durante o inverno, as bebidas quentes são o ideal para aquecer o corpo e a alma. Se um chocolate quente é bom, um cacau quente artesanal e scones à lareira de um palacete é ainda mais tentador. Aproveite o melhor da estação mais fria e visite o Royal Cocoa, a primeira fábrica de chocolate do mundo a estar integrada num palacete.

Os hóspedes do Palacete podem relaxar em frente à lareira, fazer uma massagem de chocoterapia ou visitar a fábrica de chocolates Royal Cocoa e degustá-los. Num espaço de simbiose do antigo com o moderno, os pequenos almoços são servidos com produtos frescos. Apesar de ser um local perfeito para um fim de semana a dois, os horários flexíveis para a primeira refeição do dia são ideais para as famílias maiores, deixando que todos acordem ao seu ritmo.

Os bombons Royal Cocoa têm a particularidade de serem recheados apenas com ingredientes naturais e genuínos, essencialmente orgânicos. O Royal Cocoa de amêndoa, por exemplo, é feito apenas com amêndoa orgânica de Ferreira do Alentejo. As coberturas de chocolate ou as barras de chocolate são produzidas com as melhores seleções de cacau a nível mundial. Para além dos melhores ingredientes, todos os Royal Cocoa são decorados manualmente, tornando cada bombom único.

A chocolataria mais famosa de Montemor-o-Novo tem uma capacidade de produção de 150kg/hora, o que equivale a mil caixas de 24 bombons por hora ou 300 toneladas de bombons por ano. A crescente produção permite a aposta na internacionalização dos chocolates Royal Cocoa, já presentes em Paris, no Médio Oriente e na Coreia do Sul.

Partilhar Artigo: