Revista Rua

2020-02-28T11:40:55+00:00 Cultura, Música

Sintra conta com uma agenda recheada de música para receber a primavera

Em março regressam os Serões Musicais, no Palácio da Pena, assim como o Dia da Música Antiga, que será comemorado no Palácio Nacional de Queluz, com um concerto de entrada livre, dedicado ao Cosmopolitismo do Barroco Português.
Redação28 Fevereiro, 2020
Sintra conta com uma agenda recheada de música para receber a primavera
Em março regressam os Serões Musicais, no Palácio da Pena, assim como o Dia da Música Antiga, que será comemorado no Palácio Nacional de Queluz, com um concerto de entrada livre, dedicado ao Cosmopolitismo do Barroco Português.

Sintra prepara-se para receber o solstício da primavera com uma programação repleta de concertos, encenações a atividades para toda a família. Para celebrar a chegada da nova estação, os parques e monumentos de Sintra propõem uma agenda com eventos variados, destacando a música como centro da programação.

Em março regressam os Serões Musicais, no Palácio da Pena, assim como o Dia da Música Antiga, que será comemorado no Palácio Nacional de Queluz, com um concerto de entrada livre, dedicado ao Cosmopolitismo do Barroco Português. A pensar nos mais novos, o programa terá eventos especiais, como o Caminho das Fadas e as Férias na Floresta, que pretendem promover o contacto com a natureza e as experiências ao ar livre.

A programação deste ano contará com oito concertos, divididos pelos quatro fins de semana do mês de março, que convidam o público a entrar numa viagem pelos ambientes musicais que caracterizam três dos principais baluartes do romantismo e do pós-romantismo: França, Alemanha e Rússia.

De 6 a 28 de março, a música volta a ecoar no Salão Nobre do Palácio Nacional da Pena, na sexta edição do ciclo Serões Musicais no Palácio da Pena – uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal (CEMSP), cuja direção artística está a cargo de Massimo Mazzeo. O objetivo passa por fazer reviver o ambiente dos saraus intimistas, no Palácio da Pena, com inspiração em D. Fernando II, durante a segunda metade do século XIX.

A meio do mês, no dia 14 de março, o Palácio de Sintra acolhe o programa Danças com História: D. Manuel I – o regresso de Vasco da Gama, às 11h00. Nesta apresentação, a Associação Danças com História irá recriar um acontecimento marcante da História de Portugal, mais concretamente no ano de 1499. Através dos sons, danças e da recriação dos trajes da época, esta iniciativa pretende transportar os participantes ao dia em que D. Manuel I, em Sintra, recebe a notícia do regresso da armada de Vasco da Gama, que confirmava o sucesso da descoberta do caminho marítimo para a Índia. Esta experiência fica completa com uma visita guiada ao Palácio.

A 21 de março, é tempo de celebrar o Dia da Música Antiga, uma iniciativa da REMA (Rede Europeia de Música Antiga), que coincide com o nascimento do compositor Johann Sebastian Bach. Pela primeira vez, o Palácio Nacional de Queluz associa-se a esta festa com a realização do concerto Cosmopolitismo do Barroco Português, às 21h30. O programa, executado pela Orquestra Divino Sospiro, com o soprano Eduarda Melo e sob direção de Massimo Mazzeo, será revisitado o esplendor musical do século XVIII, um período de grande vitalidade musical em Portugal, também muito influenciado pelas tendências italianas. Este evento é de entrada livre, mediante inscrição prévia.

O Cantinho das Fadas regressa ao cenário encantado do Parque de Monserrate, a 22 de março, às 10h30. Com o foco em desvendar os seres mágicos que habitam as florestas, pais e filhos serão conduzidos por suaves melodias até um local enigmático e cheio de segredos por desvendar.

A fechar a programação, a pausa escolar da Páscoa proporciona tempo livre para explorar e aprender, na Quintinha e Tapada de Monserrate, onde, de 30 de março a 3 de abril, os mais novos serão convidados a conectar com a natureza, promovendo a aquisição de competências individuais e coletivas, o espírito de equipa e o respeito pelos outros e pela biodiversidade. A iniciativa da Parques de Sintra e da Movimento BLOOM, convida a construir abrigos, a fazer receitas com o recurso à terra e a dramatizações especiais que acontecerão mesmo na floresta, sendo apenas algumas das várias atividades que prometem fazer as delícias dos mais novos.

Partilhar Artigo: