Revista Rua

2021-01-05T11:55:45+00:00 Cultura, Outras Artes

Som de Maryanne Amacher volta a ecoar em Serralves

Ao longo de três dias, de 8 a 10 de janeiro, Serralves apresenta o programa Additional Tones: a tribute to Maryanne Amacher.
©D.R.
Redação5 Janeiro, 2021
Som de Maryanne Amacher volta a ecoar em Serralves
Ao longo de três dias, de 8 a 10 de janeiro, Serralves apresenta o programa Additional Tones: a tribute to Maryanne Amacher.

O programa de Additional Tones: A Tribute to Maryanne Amacher surge em homenagem e em consonância com o crescente reconhecimento internacional da importância e singularidade da obra de Maryanne. Incluídos no programa estão a exibição em estreia nacional do filme Sisters With Transistors, um seminário e sessão de audição orientados pelos investigadores Amy Cimini e Bill Dietz.

Maryanne Amacher destacou-se na criação de instalações sonoras e ambientes multimédia de grande escala. Estudou com Karlheinz Stockhausen e colaborou com Merce Cunningham e com John Cage. O seu trabalho foi pioneiro e visionário em várias áreas da criação musical e artística como a espacialização sonora, os novos media, a ecologia acústica, a inteligência artificial ou a psicoacústica.

Deste tributo fazem parte um seminário e sessão de audição orientados pelos investigadores Amy Cimini e Bill Dietz e dedicados às séries Music for Sound Joined Rooms e Mini Sound Series de Amacher, a estreia nacional do filme Sisters With Transistors sobre o trabalho pioneiro de várias mulheres que marcaram a história da música eletrónica, a interpretação da composição Petra pelo duo inédito de pianistas constituído pela Marianne Schroeder e Joana Gama e ainda a estreia nacional de Perceptual Geographies de Thomas Ankersmit, uma peça inspirada e dedicada a Amacher.

O programa será também marcado pelo arranque da série vídeo de leituras e discussões online Remote Links, uma colaboração com a New York Public Library que celebra a publicação de Maryanne Amacher: Selected Writings and Interviews e que decorrerá até março.

Ao longo de três dias, de 8 a 10 de janeiro, Serralves apresenta o programa Additional Tones: a tribute to Maryanne Amacher, um conjunto de propostas que se constituem como homenagem, partilha e contribuição para um maior entendimento e visibilidade da obra e pensamento desta notável compositora norte-americana.

Sobre Maryanne Amacher

 

Maryanne Amacher (1938-2009) foi uma compositora norte-americana que se destacou na criação de instalações sonoras e ambientes multimédia de grande escala e duração determinada. O seu trabalho foi pioneiro e visionário em várias áreas da criação musical e artística como a espacialização sonora, os novos media, a ecologia acústica, a inteligência artificial ou a psicoacústica, entre outras.

Ainda nos anos 60, Amacher iniciava o trabalho com o que designava por “música de longa distância” e que se viria a consolidar na série City Links, baseada na mistura em tempo real e num dado lugar dos sons transmitidos a partir de vários lugares e cidades remotos através de linhas telefónicas.

Já nos anos 70, especializava-se no trabalho com o sintetizador Triadex Muse desenvolvido por Marvin Minsky usando princípios da inteligência artificial. A sua Mini Sound Series explorou o potencial dos sons enquanto personagens, aplicando os princípios dramáticos das séries televisivas e de outros formatos populares ao relacionamento entre os sons e às formas como estes eram percecionados e transformados ao longo dos vários “episódios”.

Uma outra série de trabalhos central na obra de Amacher é Music for Sound Joined Rooms onde se inclui The Sounding of Casa de Serralves: Supreme Connections apresentado em 2002. Nesta instalação sonora, visual e performativa na Casa de Serralves, o som difundia-se através da estrutura arquitetónica, pelas salas, quartos, colunas e antecâmaras. Os espaços da casa tornaram-se parte integrante do sistema de som e a casa, ela própria, num gigante instrumento musical. Em diferentes salas podíamos encontrar também elementos cénicos, ou vídeos e, desde o interior da casa, observavam-se estranhas criaturas a habitar os jardins no seu entorno.

Para além de refletir a investigação de Amacher sobre a materialidade do som e as formas como este se propaga no espaço, este trabalho refletia ainda a exploração da fenomenologia da perceção e da encenação da experiência enquanto elemento essencial nos processos de perceção.

Fique a conhecer todo o programa em homenagem à artista aqui.

 

Partilhar Artigo: