Revista Rua

2020-03-16T15:29:41+00:00 Descobrir, Viagens

Torel 1884, o exotismo dos Descobrimentos

Localizado numa das principais artérias do Porto, este hotel é um espaço acolhedor para quem vive apaixonado pela história dos Descobrimentos portugueses.
Fotografia ©Luis Ferraz
Andreia Filipa Ferreira3 Março, 2020
Torel 1884, o exotismo dos Descobrimentos
Localizado numa das principais artérias do Porto, este hotel é um espaço acolhedor para quem vive apaixonado pela história dos Descobrimentos portugueses.

Chama-se Torel 1884 – Suites & Apartments e, localizado numa das principais artérias do Porto, é um espaço acolhedor para quem vive apaixonado pela história dos Descobrimentos portugueses. Abriu em fevereiro e, pelo que vimos, é um refúgio que tem tudo para que a História se inverta: chegou a altura de o mundo descobrir Portugal!

À chegada, na Rua Mouzinho da Silveira, a referência d’Os Lusíadas numa instalação assinada por João Pedro Rodrigues encaminha-nos para o interior do Torel 1884, um edifício que foi palacete no século XIX e onde até um banco já teve a sua morada. À primeira vista, os tons bege-areia, terracota, verde azeitona, azul marinho ou castanho-café dão-nos uma ideia de conforto, mas a escadaria conduz o nosso olhar diretamente para o topo, de onde a luz irrompe pela magnífica claraboia, um dos ex-libris do espaço. Ao subirmos a escadaria, percebemos facilmente que cada piso se organiza por temáticas, ou melhor, por continentes. São, ao todo, 12 suites com nomes inspirados na herança dos Descobrimentos portugueses, como “Malagueta”, “Pássaros Exóticos”, “Café”, “Cana de Açúcar”, “Tabaco”, “Chá”, “Porcelanas”, “Tapeçarias”, “Especiarias”, entre outros. Com áreas amplas, repletas de luz, e com uma ornamentação requintada com assinatura da Nano Design, um atelier de design de interiores do Porto, este Torel 1884 destaca-se pela elegância – seja arquitetónica, graças ao projeto de remodelação de Miguel Nogueira; seja decorativa, mérito dos detalhes originais que se mantiveram no espaço, como os puxadores das portas e as réplicas das chaves. E, se formos a falar de detalhes, é impossível não destacarmos as magníficas banheiras ou as camas de dossel presentes em alguns dos quartos!

Com uma biblioteca perfeita para um serão tranquilo ou uma manhã demorada, à luz natural proveniente da tal claraboia, o Torel 1884 é uma inesperada surpresa pela forma charmosa como apresenta a simplicidade das coisas. O Honesty Bar, presente na área de biblioteca, é um exemplo disso. Da simplicidade de uma mala de viagem antiga surge um apelativo bar sem barman, ou seja, cada hóspede é convidado a ser honesto e a indicar no respetivo formulário a bebida que decidiu tomar para acompanhar a sua leitura ou conversa. E, falando de formulários, vamos ao método de pequeno-almoço: para evitar o desperdício, não existe um pequeno-almoço buffet, como é tão tradicional nos hotéis. Na noite anterior, o hóspede deve deixar as suas indicações, das panquecas às papas de aveia ou à omelete de clara de ovo, para ser servido em conformidade na manhã seguinte – não significa isto que não possa dar azo aos seus desejos matinais repentinos… basta pedir e a equipa prontamente preparará o que se esqueceu de assinalar anteriormente.

As refeições do Torel 1884 têm então lugar no Bartolomeu Wine Bistro – claramente uma referência ao nosso explorador Bartolomeu Dias, célebre por ter contornado o Cabo das Tormentas (apelidado depois de Cabo da Boa Esperança). Neste espaço, para além dos vinhos nacionais que ocupam a incrível garrafeira (onde vemos a caixa-forte do antigo banco), é possível saborear a boa comida portuguesa através de “pratinhos para picar”, um convite à partilha. Tábua de enchidos, de queijos, salada de cogumelos, cevada e espinafres ou outras especialidades compõem o menu, que quando apresenta as sobremesas nos deixa de água na boca: a tarde de chocolate ou o crumble de maçã. Boa sorte para conseguir escolher!

Membro do grupo Torel Boutiques, responsável também pelo portuense Torel Avantgarde e com outro espaço em desenvolvimento na zona da Batalha, este Torel 1884 é um regresso às origens portuguesas num momento que o Porto é cidade de turistas. A austríaca Ingrid Koeck é uma das sócias do grupo e, apaixonada pela cidade e pelo nosso país, assume que o Torel 1884 tem conquistado os portuenses e os turistas: um uau effect! “Todos os espaços do Torel querem mostrar uma parte de Portugal: por exemplo, o Torel Avantgarde traz a arte, a arquitetura e o design; e o Torel Palace, em Lisboa, traz o tema dos reis e rainhas. Aqui fala-se de Descobrimentos, da história de coragem, aventura e curiosidade dos portugueses que exploraram África, América e o Oriente. Quisemos aqui mostrar a conexão de Portugal aos outros países, honrando também a beleza do artesanal português. Numa atmosfera acolhedora, o Torel 1884 quer gritar que agora é a hora de Portugal!”, conta-nos Ingrid, notoriamente emocionada pelo feedback tão positivo que o espaço tem recebido.

Partilhar Artigo: