Revista Rua

2019-11-19T10:09:20+00:00 Bússola, Viagens

Três décadas desde a queda do Muro de Berlim: o que mudou?

A queda do Muro de Berlim ocorreu em 9 de novembro de 1989. Desde aí, o que mudou na Alemanha?
Portas de Brademburgo ©Visit Berlin/Dagmar Schwelle
Maria Inês Neto24 Outubro, 2019
Três décadas desde a queda do Muro de Berlim: o que mudou?
A queda do Muro de Berlim ocorreu em 9 de novembro de 1989. Desde aí, o que mudou na Alemanha?

Numa altura em que se comemoram 30 anos desde a queda do Muro de Berlim, importa conhecer o que mudou na Alemanha e de que forma o país se ergueu, tornando-se um dos mais importantes destinos turísticos da Europa (e do mundo). Segundo os dados revelados pela Germany – The travel destination podemos perspetivar a importância deste marcante acontecimento que, entre 1990-93, deu início a uma enorme reunificação do país.

Dos principais números e factos que constam desde essa altura, podemos verificar que, entre 1993 e 2018, o número de turistas internacionais que ficaram a dormir no país duplicou, passando de 34,7 milhões para 87,7 milhões – uma conquista que garantiu um prestigiado 9.º recorde consecutivo no ano passado. Este crescimento do turismo na Alemanha, a longo prazo, superou o crescimento do turismo europeu e global, desde a reunificação.

A abertura da fronteira entre a Alemanha Oriental e Ocidental aconteceu a 9 de novembro de 1989. Após este processo de reunificação, a Alemanha ilustra hoje um equilíbrio entre a oferta e a procura, tornando o país como: principal destino cultural para turistas europeus; destino n.º 1 para feiras internacionais, para conferências e reuniões, para city-breaks e para jovens europeus (entre os 15 e os 24); destino n.º 2 para viagens internacionais de luxo.

As regiões da antiga Alemanha Oriental beneficiaram fortemente do aumento do turismo na Alemanha, desde o início dos anos 90. Nos novos estados federais da Alemanha, incluindo a capital, o número de dormidas de visitantes internacionais aumentou cerca de seis vezes, entre 1993 e 2018. No ano da reunificação, os novos estados federais do leste da Alemanha, incluindo Berlim, representavam menos de 10% do número total de turismo no país. Em 2018 esse mesmo número duplicou e ultrapassou os 23%.

O impacto da queda do Muro de Berlim permitiu novas oportunidades para viajar livremente pelo mundo, tanto de dentro do país para fora, como de fora para o interior. Milhões de turistas internacionais passaram a poder explorar a beleza natural e a cultura da antiga República Democrática Alemã. Durante estas últimas três décadas, o turismo tornou-se num fator económico cada vez mais importante, contribuindo, atualmente, com mais de 105 mil milhões de euros para a economia da Alemanha – cerca de 4% do valor acrescentado bruto – e, aproximadamente, três milhões de empregos.

Após a reunificação, a infraestrutura turística beneficiou de investimentos públicos e privados substanciais em ambas as partes do país. O projeto de transportes German Unity teve um investimento de 40 mil milhões a fim de elevar o padrão de autoestradas, estradas principais e da rede ferroviária, segundo os dados revelados pelo Ministério Federal dos Transportes e Infraestruturas Digital, em 2016.

Tanto o setor hoteleiro como a restauração crescerem a olhos vistos, dado o contributo de várias empresas hoteleiras nacionais e internacionais, assim como muitos empreendedores individuais. Este crescimento fez com que o padrão de serviço e a oferta disponível na antiga Alemanha Oriental sejam agora indistinguíveis dos antigos estados federais.

Queda do Muro instalação em frente às Portas de Brademburgo/ Instalação de Patrick Shearn Poetic Kinetics ©Kulturprojekte Berlin

Atualmente, o Destino Alemanha possui mais de 20 mil hotéis para todos os gostos e necessidades, desde turistas que dão importância ao preço nas suas escolhas, a viajantes que exigem altos padrões de qualidade de serviços. São mais de 300 restaurantes com estrelas Michelin, em todas as regiões do país, uma prova da excelência da gastronomia do país. Também são várias as atrações de importância histórica e cultural, que foram recuperadas desde a reunificação, incluindo diversos pontos de interesse, tais como o centro de Dresden, com a Igreja de Nossa Senhora restaurada. Vários espaços industriais antigos deram lugar a diversos eventos culturais de prestígio. Há locais destacados como Património Mundial da UNESCO em todas as regiões do país, aglomerando um total de 46 marcos importantes na História da Humanidade.

São vários os fatores que impulsionaram um forte crescimento em diversos setores, desde a hotelaria, a restauração, a cultura e a mediação que tornaram a Alemanha como um dos países mais visitados anualmente, e dos mais importantes destinos globais.

Partilhar Artigo: