Revista Rua

2020-02-04T15:47:03+00:00 Opinião

Tubos de ensaio

Humor
João Lobo Monteiro
João Lobo Monteiro
4 Fevereiro, 2020
Tubos de ensaio
©D.R.

Vamos falar sobre o pequeno ‘man bun’ do Ronaldo? É melhor não. Ele faz aquilo porque é o maior e tem tudo para ser o maior. Vamos falar de quê, então? Da licenciatura em Sociologia em que a SIC se tornou. E do ex-príncipe Harry e da prima do Nuno Markl. São coisas que não têm nada a ver, mas não me pagam para fazer sentido, portanto tudo bem.

Miguel Relvas e José Sócrates popularizaram as licenciaturas à pressa – quer dizer, o processo de Bolonha fez isso, mas eles fizeram ainda mais rápido – e agora a SIC só quer saber de dar experiências sociais ao pessoal e, assim, fazer de todos uns sociólogos. Começaram por casar pessoas à primeira vista, depois puseram moças a interessar-se muito pelo mundo rural e pelos matarruanos. Agora, são jovens que vão para longe de casa, para conviverem com idosos. O que, na minha infância, se chamava de férias de verão.

Apanhei um bocadinho de Amigos Improváveis (não o filme, que esse é bom. Sim, eu vejo filmes, de vez em quando), na sequência de A Máscara, que dava para fazer outra crónica, mas é melhor não. Vamos ficar só com os velhotes versus a juventude.

Ora, o que retive de Amigos Improváveis foi que há uma senhora que parece o Nelo, personagem do Herman José, mas sem a pochete e sem a fita na cabeça. A acompanhá-la, estava, tipo, uma rapariga, tipo, mais nova do que eu, tipo, um ano, mas que, tipo, andava sempre com uma powerbank, tipo, atrás dela, ‘tás a ver? Mêmo. Tipo. Mas, tipo, ela tentava, tipo, desenvolver bué raciocínios, só que, tipo, acabavam por não fazer sentido, porque, tipo, o resto do mundo não está no mesmo comprimento, tipo, de onda.

Também fixei uma idosa que levou a jovem ao ginásio e aguentava mais do que ela, o que me fez sentir menos mal por não puxar mais do que 5 kg no ginásio, quando há pessoal com o dobro da minha idade que também puxa mais do dobro do que eu. Finalmente, um jovem foi para a casa de um casal em Bragança. Passou a comer sopa ao pequeno-almoço e só tinha rede de telemóvel às vezes, e na casa de banho. Mais uma vez: isso eram as minhas férias de verão na infância. Não a parte da sopa, claro. Mas tinha de comer ao almoço.

E se a nossa juventude está perdida, ai, que não vamos a lado nenhum, a juventude no Reino Unido não está melhor. Viram? Afinal consegui fazer uma transição suave entre assuntos. Já o Brexit e esta cena de o Harry e a Meghan já não quererem mais brincar aos príncipes e princesas é que foi mais à bruta. Tipo o acidente da princesa Diana. Uish!

À sua maneira, é também uma experiência social, sair da realeza e ver como é que a plebe se safa no dia a dia… continuando a ter milhões para gastar. Mas vá, para disfarçar simular um pouco de pobreza, foram para o sótão dos States, que é o Canadá. Também era escusado passar do oito para o 80, do Boris Johnson para o Trump. Vai bem uma camadinha de Justin Trudeau, para desenjoar.

Pronto, levem estas reflexões para mais um mês da vossa vida, espero que vos aqueça o coração e a mente. No entanto, se precisarem de mais aquecimento, as velhotinhas da SIC devem estar para ensinar a juventude a fazer crochê. Ou vão ligar o aquecedor a óleo. É ficar atento e aprender. Ou ir fazer coisas mais interessantes, se calhar é isso. É, é isso. Ide lá, que eu já vos apanho.

Sobre o autor:
Tenho dois apelidos como os pivôs de telejornal, mas sou o comunicador menos comunicativo que há. Bom moço, sobretudo.

Partilhar Artigo: