Revista Rua

2019-05-20T10:07:34+01:00 Cultura, Dança, Teatro

‘Um encontro provocado’ no Teatro Diogo Bernardes

Partilhar Artigo:
©Miguel Estima
Miguel Estima20 Maio, 2019
‘Um encontro provocado’ no Teatro Diogo Bernardes
Partilhar Artigo:

O Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, acolheu na passada sexta-feira, 17 de Maio, a Companhia Paulo Ribeiro com a peça “Um encontro provocado”. Com coreografia, cenografia e desenho de luz de Henrique Rodovalho e interpretação de Margarida Belo Costa, Miguel Oliveira, Miguel Santos e Teresa Alves da Silva.

Quatro bailarinos portugueses e um coreógrafo brasileiro, – numa linguagem artística que não expressa a palavra, mas sim o que ela quer ou que não consegue dizer: a dança, – enveredam pelo questionamento que atravessa toda a peça e que incide sobre a violência. Corpos e movimento que, através da sua singular comunicação, expõem géneros, níveis e questões inerentes à ausência e à presença dessa violência. A violência no ser, do ser. A violência perpetrada ao mundo, do mundo a cada um. A violência de viver ou de perder a vida. A violência enquanto sentimento humano.

Segundo o coreógrafo: “O encontro provocado – para uma composição coreográfica – entre artistas de duas nacionalidades tão próximas, Brasil e Portugal, procura refletir sobre uma questão perturbadora: a violência. Uma abordagem inscrita na diferença que essa mesma violência assume em cada um destes países da ‘mesma família’. No Brasil, a violência, de todos os tipos e esferas, está em níveis alarmantes; já Portugal é considerado, hoje, um dos países mais seguros do mundo. Porquê esta diferença, atualmente, tão grande entre o Brasil e Portugal? “

Uma noite onde uma das melhores companhias de dança contemporânea nacionais marcou de forma indelével a sua presença no Teatro de Ponte de Lima.

Fotografia: ©Miguel Estima

Partilhar Artigo: