Revista Rua

2020-09-08T09:30:32+00:00 Radar

Um regresso às aulas atípico: o que vai mudar?

No caso de Portugal, ainda muito está em discussão.
Redação
Redação7 Setembro, 2020
Um regresso às aulas atípico: o que vai mudar?
No caso de Portugal, ainda muito está em discussão.

Por Vera Salazar

O regresso às aulas tem sido, como todo o ano de 2020, atípico. Numa altura em que os casos registados de Covid-19 têm sido uma constante, os pais, professores e até os alunos têm estado em constante incerteza sobre as melhores medidas a adotar. A questão principal será: como manter a vida normal em tempos de pandemia?
Se, por um lado, ainda não existem regras vinculadas no que concerne ao uso de máscara nas crianças com menos de dez anos, à distância de segurança ou até ao procedimento de horários e funcionamento da cantina, o regresso às aulas tem sido a principal preocupação em todos os países. Em alguns, as aulas já arrancaram e, noutros, existe cada vez mais o adiamento, já que o aumento de números de casos positivos não transmite qualquer segurança. Por exemplo, em Itália, foi implementado um sistema de ensino misto com alternância entre aulas presenciais e aulas à distância. Na República Checa, o próprio uso de máscara não é obrigatório, mas já foi implementado o seu uso em alguns estabelecimentos e irão estar disponíveis sistemas de medição de temperatura corporal automática e pontos de desinfeção das mãos obrigatórios.
No caso de Portugal, ainda muito está em discussão. Pela incapacidade de contratação de mais professores como uma forma de divisão das turmas para evitar a concentração de alunos, foram indicadas uma série de medidas para salvaguardar a saúde pública. Medidas como a desinfeção das mãos obrigatória à entrada e saída, a realização de testes aleatórios para controlo de contágio, a utilização obrigatória de máscaras dentro das salas de aula, a educação parcial à distância no caso de encerramento e a utilização dos corredores de circulação nas cantinas para minimizar o contacto.

Os conselhos da RUA nesta situação diferente passam pela utilização frequente da máscara e do álcool em gel, os melhores amigos de qualquer pessoa neste momento, evitar andar em grupos com demasiadas pessoas, evitar a partilha de material escolar e em qualquer sinal de algum sintoma salvaguardarem-se em casa.

Partilhar Artigo: