Revista Rua

2020-01-02T10:38:44+00:00 Opinião

Vai ser muito isto

Humor
João Lobo Monteiro
João Lobo Monteiro
2 Janeiro, 2020
Vai ser muito isto

Meu anjo,

Uma solene homenagem a Maria Helena Martins. Desta vez, em vez de discorrer sobre um tema, vou esgotar já todos os temas para este ano, dizendo-vos o que vai acontecer em 2020. Só a parte que dá para contar. “Não posso contar-lhe tudo, senão fica a saber tanto quanto eu” – citação de um senhor que fazia bifanas e não quis dizer à repórter da Liga dos Últimos qual era toda a receita das bifanas. Outra solene homenagem. Vamos lá, então.

Não vamos ao ginásio: Como aconteceu no início de 2019 e vai acontecer no início de 2021, vamos prometer que passaremos a ir forte ao ginásio. Mas como aconteceu em 2019 e vai acontecer em 2021, só vamos ao ginásio até ao dia 3 – em 2021 talvez não, porque vai calhar num domingo. O máximo que vamos desgastar vai ser a uva passa que comemos para prometer que íamos passar a ir ao ginásio mais vezes. Quer dizer, que vocês comeram, eu não como uvas passas. Nem faço dessas promessas. Não está futebol envolvido, não faço promessas.

O Brexit continua: Pensavam que já tinha acabado? E era! Isto é pior que o Anjo Selvagem. Só quando o Boris Johnson se conseguir pentear é que o assunto começa a andar. Depois, ainda é preciso traduzir o que querem os escoceses e os gajos de Liverpool, que o sotaque deles não se percebe. Finalmente, a UE vai perguntar “falta alguma coisa?” e o Reino Unido vai responder “tu é que sabes, faz como quiseres”. Vão discutir e… pronto, cenas de casais.

Fevereiro vai ter 29 dias: É um facto, não tenho muito mais a dizer. Era só mesmo para vos avisar que 2020 é bissexto. Ano de Europeu e Jogos Olímpicos é sempre bissexto, fixem. Sobre o que acontece aos aniversários de quem nasceu a 29 de fevereiro: não vos sei responder. Nem comemoro os meus, não vou saber dos aniversários dos outros.

Haverá 38 polémicas por causa das redes sociais: E nenhuma delas vai dar em nada, nem vão durar mais do que a distância entre dois Governo Sombra, como sempre. Esta é só mesmo para ver se acerto nas 38 e se acerto que a que vai durar mais vai ser por causa de a Joacine ser gaga.

A Greta vai passar a deslocar-se como as pessoas: A razão é a mais comum de todas – vai apaixonar-se por um jovem lenhador suíço. Como não há mar, vai ter de ir de avião ou a penantes, que se lixa. Depois, ele vai cansar-se das cenas dela, vai trocá-la por outra e a Greta vai afogar as mágoas num pote de Ben & Jerry’s. Vai dizer que nunca mais confia nos homens e essas tretas. Depois, vai apaixonar-se por um ativista da Amazónia. Vai mudar-se para lá e como aquilo é muito húmido… é, a Greta vai ficar húmida, a história era toda para chegar aqui.

Chico da Tina vai ganhar Globos de Ouro: Um pouco como a Greta, Chico da Tina vai vencer as pessoas pelo cansaço. E vai vencer o Globo de Ouro de melhor artista do ano. O Globo de Ouro de melhor música também vai para ele, mas é por um som que ele vai lançar daqui a 15 dias. Se não for esse, é o da semana a seguir. E claro, vai ao Programa da Cristina. Só não vai ser com o impacto do grito “é o Conaaaaan!”.

Vai ter bicampeonato (se o Eder for): Antes do Euro 2016, eu disse que íamos ser campeões, com um golo do Eder. As outras previsões podem ser no gozo, mas esta não, tem mesmo base científica. Chamam “grupo da morte” ao nosso, porque uma das potências sucumbirá ao campeão – provavelmente a França, que já se habituou, é bom lembrar. Depois, vai ser mais um passeio prolongado até à vitória final, quanto mais não seja porque este é um Euro circense, espalhado por todo o velho continente e por Baku.

O Trump vai perder as eleições: É verdade, os quatro anos do mandato do Trump acabam em novembro de 2020. Como é que a gente resistiu a isto? Mistérios da vida. Acontece que o Donald vai ser derrotado, mas vai andar a dizer que isso são notícias falsas, plantadas pela CNN. Muda para a Fox e a Fox vai ter de dizer que ele perdeu mesmo. Vai continuar a dizer que isso é falso, vai pedir uma recontagem dos votos. A recontagem dos votos vai dar que ele perdeu. Então, vai pedir outra recontagem, mas da quantidade de retweets das baboseiras que ele escreveu, desde que tem conta no Twitter. Aí, vai ganhar, mas não conta para nada. Nisto tudo, estamos em 2024 e ele já se pode recandidatar.

Chuva em novembro, Natal em dezembro: As maiores surpresas vão ficar reservadas para o fim do ano. Todos os órgãos de comunicação social vão ficar sobressaltados com uma coisa chamada “inverno”, que vai trazer chuvas e inundações. Algo nunca visto e que vai ser motivo de reportagem ao longo de uns dias. Já no final de dezembro, vem o Natal, festividade cujas decorações vão começar a aparecer e a derreter em agosto. Finalmente, no dia 31 de dezembro, uma quinta-feira, milhões de pessoas vão festejar a passagem para o dia 1 de janeiro de 2021, uma sexta-feira, uma tradição estúpida que se repete todos os anos, a de festejar a passagem de um dia para o outro. Vá, em 2020 até se justifica, porque dá para fazer ponte até ao fim de semana. Entraremos bem em 2021.

Sobre o autor:
Tenho dois apelidos como os pivôs de telejornal, mas sou o comunicador menos comunicativo que há. Bom moço, sobretudo.

Partilhar Artigo: